Glossário

Descubra qual o significado de alguns dos termos mais técnicos referentes à criopreservação de células estaminais

A

capacidade de originar células idênticas a si.

proveniente de outro indivíduo.

B

sistema de cultura celular que permitem a expansão de tecidos, através de condições controladas.

instituição a qual podem ser doadas células do sangue e do tecido do cordão umbilical. As amostras são registadas numa base de dados e podem ser utilizadas por terceiros para transplantes em caso de necessidade.

instituição em qual a familias podem guardar as células estaminais do sangue e do tecido do cordão umbilical do recém-nascido, garatindo a sua propriedade. As células poderão ser posteriormente resgatadas para tratamentos do próprio ou de familiares

instituição cuja actividade principal consiste em receber amostras de sangue do cordão umbilical, processá-las e armazená-las para possível utilização posterior em transplante.

C

técnica através da qual é possível conservar, a temperaturas muito baixas (-196ºC), células ou tecidos sem que percam a sua viabilidade.

técnica que permite identificar e contabilizar células numa amostra, através da detecção de uma substância fluorescente ligada a moléculas específicas dessas células.

célula com capacidade de originar um organismo completo e funcional. O zigoto (célula que resulta da fecundação do óvulo pelo espermatozóide) e as células que resultam das primeiras divisões deste são actualmente consideradas as únicas células totipotentes.

células que se irão diferenciar em células endoteliais, envolvidas na formação de vasos sanguíneos.

também designadas por células precursoras, são células parcialmente diferenciadas já comprometidas com uma determinada linhagem celular. São dos primeiros descendentes das células estaminais e, tal como estas, podem diferenciar-se, no entanto, não se podem auto-renovar.

células com capacidade de originar células de todas as camadas germinativas (endoderme, ectoderme e mesoderme), podem portanto originar todos os tipos de células de um organismo, mas não um organismo completo.

células com capacidade de originar todos os tipos de células de um determinado órgão ou tecido.

designação utilizada para diferenciar as células estaminais do sangue do cordão umbilical das restantes células adultas, pois são recolhidas à nascença e possuem por isso características mais primitivas do que as células isoladas de tecidos adultos.

células estaminais precursoras de diversos tecidos tais como osso, cartilagem, adipócitos ou músculo. As células estaminais do tecido são células estaminais mesenquimais.

células estaminais precursoras das células sanguíneas maduras constituintes do sangue (glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas). Têm a capacidade de substituir a medula óssea (após sua destruição) produzindo as células sanguíneas.

D

doenças em que existe desenvolvimento de tumores malignos e cancros.

são doenças que se caracterizam por uma disfunção progressiva do sistema nervoso, tal como na doença de Parkinson ou Alzheimer.

são doenças genéticas causadas por “Erros Inatos do Metabolismo”, que resultam na falta de actividade de enzimas ou defeitos no transporte de proteínas no organismo. Estas patologias, que afectam as funções metabólicas, levam o organismo a acumular substâncias que se tornam tóxicas ou a diminuir outras, importantes para o seu funcionamento normal.

doenças que se transmitem geneticamente de geração em geração, isto é, de pais para filhos ou de ascendentes para descendentes.

em inglês “Graft versus host disease” (GVHD), é uma complicação que ocorre após transplante alogénico de medula óssea, na qual as células imunitárias do dador atacam os tecidos do paciente transplantado.

é uma patologia em que ocorre uma resposta imunitária contra as células e tecidos do próprio organismo.

processo através do qual células não especializadas assumem formas e funções específicas de um tecido ou órgão.

doenças em que existe insuficiência ou ausência de funcionamento da medula óssea.

E

aumentar o número de células.

fora do organismo.

os ensaios clínicos constituem a metodologia universalmente aceite para conduzir investigação em humanos, tornando-se por conseguinte no principal pilar da investigação clínica a nível mundial. Os ensaios clínicos são os processos que se destinam a comprovar não só a eficácia de uma terapia nos seres humanos, como também a segurança da mesma.

é uma tecnologia, com base na engenharia e nas ciências da vida, que se destina a produzir substitutos viáveis para a restauração, manutenção ou melhoramento da função dos tecidos ou órgãos humanos. Utilizando esta técnica é possível, a partir da combinação de células, de materiais de engenharia e factores bioquímicos, produzir estruturas biológicas com o objectivo de serem integradas num paciente.

estágio de desenvolvimento intra-uterino nas primeiras oito semanas de gestação.

F

estágio de desenvolvimento intra-uterino que tem início após oito semanas de vida embrionária e vai até o fim da gestação.

G

também conhecidos por hemácias ou eritrócitos, são células que se encontram no sangue que tem como função transportar oxigénio por todo o corpo.

também conhecidos por leucócitos, são células produzidas na medula óssea, presentes no sangue e em todos os tecidos, que têm como função combater microrganismos e possíveis infecções. São as células responsáveis pela resposta imunitária.

um segmento de um cromossoma a que corresponde um código distinto contendo informação para produzir uma determinada proteína ou porção de uma proteína, permitindo controlar uma característica, por exemplo, a cor do cabelo.

H

iniciais de “Human leucocyte antigen” que em português se designa por sistema de histocompatibilidade, são um conjunto de genes com grande diversidade que codificam glicoproteínas da superfície da membrana celular, importantes na resposta imunitária, e que permitem definir a compatibilidade entre dois indivíduos.

células encontradas no fígado.

doenças com origem em defeitos de uma proteína denominada hemoglobina, presente nos glóbulo vermelhos.

é o processo de formação de células sanguíneas (glóbulos brancos, glóbulos veremlhos, plaquetas) a partir de um precursor celular comum e indiferenciado conhecido como célula estaminal hematopoiética.

I

célula que não se especializou.

no organismo vivo; no ambiente natural.

num tubo de ensaio ou caixa de petri; em laboratório; num ambiente artificial.

doenças em que o sistema imunitário está debilitado ou incapaz para desencadear uma resposta contra infecções.

M

tecido de funções hematopoéticas, que preenche o canal medular dos ossos compridos e as lacunas dos ossos esponjosos, onde são produzidas as células sanguíneas.

área da medicina com vista ao uso potencial de células estaminais para fins terapêuticos, como por exemplo em doenças degenerativas e na reparação de tecidos que não têm a capacidade de se auto-reparar.

pequeno grupo de células no interior do blastócito que se desenvolverá posteriormente no embrião.

P

propriedades que permitem modular (regular) a resposta imunitária.

também designadas por trombócitos são células sanguíneas sem núcleo e de dimensões muito reduzidas que intervêm na coagulação.

órgão esponjoso que se forma no útero e estabelece as relações entre o embrião e a mãe, e através do qual se realizam trocas nutritivas.

iniciais de “Polymerase Chain Reaction” que em português se designa por reacção de polimerização em cadeia, é um método que permite a amplificação (criação de múltiplas cópias) de ADN. Uma vez que permite amplificar especificamente pequenas porções de ADN, é uma das técnicas mais sensíveis utilizadas no diagnóstico de doenças infecciosas e hereditárias, entre outras.

R

recuperação da hematopoiese, isto é, da capacidade de produzir células sanguíneas.

resposta do sistema imunitário que reage contra os elementos estranhos a um organismo.

reconstituição parcial ou total de um tecido ou órgão destruído.

S

também conhecido como sistema imunológico, é o conjunto de mecanismos que desempenham importantes funções na defesa do organismo.

T

transplante de células estaminais hematopoiéticas, com potencial para formar sangue.

transplante de células, tecidos ou órgãos entre indivíduos diferentes.

operação que consiste em mudar um enxerto de um órgão ou tecido de lugar ou de corpo.

consiste no tratamento ou na prevenção de uma doença herdada ou adquirida pela introdução de genes funcionais que substituam ou complementem aqueles defeituosos.

utilização de células para tratar determinada doença ou estado patológico.

V

Número de células vivas.

relativo a, ou composto por, vasos sanguíneos.

Live Chat