Transferência das amostras da Bioteca para a Crioestaminal

A Bioteca S.A., por motivos que só a própria poderá adiantar, decidiu não continuar a sua atividade de criopreservação de amostras de sangue e de tecido do cordão umbilical em Portugal. De forma a garantir o armazenamento das amostras e o cumprimento dos contratos estabelecidos, a Bioteca e a Crioestaminal chegaram a um acordo para que a Crioestaminal salvaguardasse o armazenamento das amostras da Bioteca. A Crioestaminal aceitou o pedido da Bioteca para a receção das amostras no seu laboratório e de seguida dar continuidade ao serviço prestado às famílias clientes da Bioteca.

Assim, ocorreu no dia 1 de abril, a transferência das amostras do laboratório da Bioteca, em Lisboa, para o laboratório da Crioestaminal, em Cantanhede. O processo, da responsabilidade da Bioteca, foi realizado de acordo com o enquadramento legal nacional (lei 12/2009), estando devidamente autorizado pela Direção Geral de Saúde, ao abrigo do “Acordo de Backup” anteriormente celebrado entre as duas empresas. A operação decorreu dentro da normalidade e foi assegurada por técnicos qualificados e com elevada experiência neste tipo de situações. As amostras já se encontram armazenadas no laboratório da Crioestaminal, em completa segurança.

A partir da receção das amostras, a Crioestaminal passa a ser responsável pelas mesmas e assume, integralmente, a continuidade dos contratos realizados anteriormente entre a Bioteca e os seus clientes. A Crioestaminal está disponível para esclarecer todas as dúvidas e questões relativas ao armazenamento futuro das amostras.

Todas as questões relacionadas com a estrutura interna da Bioteca, nomeadamente, os aspetos relacionados com os seus profissionais e ativos móveis, continuarão a ser responsabilidade da mesma, devendo todas as dúvidas ser colocadas à administração da Bioteca.

Fundada em 2003, a Crioestaminal foi o primeiro banco em Portugal a disponibilizar às famílias a possibilidade de guardarem as células estaminais do sangue do cordão umbilical, sendo líder de mercado e uma das maiores empresas da Europa neste setor. Foi a primeira empresa a ser autorizada pelo Ministério da Saúde e continua a ser a única em Portugal com a prestigiada acreditação internacional da Associação Americana de Bancos de Sangue (AABB). Com 8 amostras libertadas para 13 transplantes, conta já com a confiança de mais de 70.000 famílias que guardaram as células dos seus filhos.