Sucesso Crescente

Já desde 1988 que o sangue do cordão umbilical é utilizado
como fonte de células estaminais para o tratamento de várias
doenças, sendo hoje a fonte preferencial nos transplantes
hemato-oncológicos pediátricos nos EUA

01

No mundo

A utilização de células estaminais do cordão umbilical é já uma realidade bem patente em todo o mundo.
  • O 1º transplante com sangue do cordão umbilical foi realizado em 1988, em Paris, entre dois irmãos no tratamento de um caso de anemia de Fanconi.
  • Já foram realizados mais de 40 mil transplantes recorrendo às células estaminais do sangue do cordão umbilical, para o tratamento de doenças oncológicas, deficiências medulares, doenças metabólicas, imunodeficiências, hemoglobinopatias, entre outras.

  • 80% dos transplantes foram feitos nos últimos 9 anos.
  • Em 2009, pela primeira vez, o número de transplantes com recurso ao sangue do cordão umbilical foi superior ao número de transplantes com medula óssea.

  • Segundo dados de 2011, mais de 500 crianças europeias com doenças hemato-oncológicas foram transplantadas com células estaminais do sangue do cordão umbilical de um dador familiar com resultados favoráveis.

Transplantes Hematopoiéticos por fontes de células estaminais (Programa de Dadores de Médula Óssea – Estados Unidos da América)

Em transplantes hematopoiéticos pediátricos as células estaminais do cordão umbilical já são a fonte preferida.

02

Em portugal

Os transplantes de células estaminais do sangue do cordão umbilical criopreservadas têm dado passos seguros no nosso país.
  • O 1º transplante com células estaminais do sangue do cordão umbilical foi realizado em 1994 no IPO de Lisboa. A criança de 3 anos sofria de leucemia mielóide crónica, tendo o transplante de células do sangue do cordão umbilical, do seu irmão, sido realizado após quimioterapia.
  • O 1ª transplante realizado com amostra libertada de um banco familiar foi em 2007, para o tratamento de uma Imunodeficiência Combinada Severa (SCID), uma doença fatal quando não tratada, tendo-se recorrido às células estaminais do irmão do doente, anteriormente criopreservadas na Crioestaminal. A criança foi totalmente curada.
  • Sete amostras foram libertadas pela Crioestaminal para o tratamento de crianças com paralisia cerebral, no que pode ser entendido como uma nova esperança no tratamento desta doença. Seis crianças foram infundidas num programa liderado pela Universidade de Duke nos Estados Unidos e uma criança em Madrid.

  • Em Portugal entre 2002 e 2010, a par dos transplantes com células preservadas em bancos familiares, foram efetuados 65 transplantes com células estaminais SCU de bancos públicos.

03

Transplantes realizados

Conheça alguns dos transplantes realizados, em Portugal e no Mundo, a partir de células estaminais do cordão umbilical:

O primeiro transplante de células estaminais do cordão umbilical em Portugal foi realizado em 1994.

Ainda bebé, Inês Domingos foi diagnosticada com leucemia mieloide crónica e internada no IPO de Lisboa. Devido aos resultados insuficientes dos tratamentos com quimioterapia e da ausência de dadores compatíveis, foi-lhes recomendado pelo seu médico ter outro filho para fazer um transplante de células estaminais do cordão umbilical, algo inédito em Portugal na altura. Três meses após o nascimento de João Miguel, e a recolha das suas células estaminais, Inês, então com 3 anos, deu entrada no hospital onde foi realizado o transplante. Aos 22 anos, a leucemia ficou para trás e Inês apenas tem de visitar o IPO uma vez por ano, para exames de rotina.

Criança espanhola recupera de um tumor cerebral maligno graças a um tratamento com células estaminais.

Proveniente de Cádis, na comunidade espanhola de Andaluzia, Alba começou a receber tratamento no Hospital Niño Jesus de Madrid aos dois anos de idade para combater um Meduloblastoma, uma forma rara e altamente maligna de tumor cerebral. Após recorrer a uma cirurgia e à quimioterapia, foi feito um transplante de células estaminais provenientes do sangue do seu cordão umbilical para restabelecer o seu sistema imunitário.

Após o transplante, as células estaminais migraram para a medula espinal onde começaram a produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas, de forma a regenerar o sistema sanguíneo da criança. 14 meses depois, o sistema imunitário da Alba estava totalmente reconstruído, permitindo-lhe viver uma vida normal com apenas alguns exames de rotina.

Menina de 3 anos com Leucemia completamente curada com as suas células estaminais.

Na Alemanha, uma menina com 3 anos, a quem foi diagnosticada leucemia, foi transplantada com as células estaminais do seu sangue cordão umbilical, armazenadas à nascença, depois de ter tido uma recaída no sistema nervoso central.
Passados mais de dois anos após o transplante, com o seu próprio sangue do cordão umbilical, aos 6 anos de idade a menina estava livre da doença.
A equipa médica declarou no relatório que “A decisão tomada pelos pais da nossa doente, de guardar o sangue do cordão umbilical, pode ter aumentado as suas hipóteses de sobrevivência.”

Esta equipa afirmou ainda que a leucemia linfoblástica aguda de que a criança de 3 anos de idade padecia é o tumor maligno mais comum em crianças.

Referências:

Hematopoietic reconstitution in a patient with Fanconi’s anemia by means of umbilical-cord bloodfrom an HLA-identical sibling. Gluckman et al., N Engl J Med. 1989, Oct 26;321(17):1174-8.- Hemacord approval may foreshadow regulatory creep for HSC therapies. Allison M, 2012, Apr 10;30(4):304.

Family-directed umbilical cord blood banking. Gluckman et al. Haematologica. 2011, 96(11):1700-7;

Umbilical cord blood banking: an update, Butler et al., J Assist Reprod Genet. 2011, 28(8):669-76.

Why cord blood? Rubinstein P, Hum Immunol. 2006, 67(6):398-404. Review.

Cord blood hematopoietic stem cell transplantation. Broxmeyer HE, StemBook Cambridge (MA): Harvard Stem Cell Institute; 2010, 2008-.ISSN: 1940-3429

Colheita e transplantação de órgãos, tecidos e células – relatório estatístico 2010, ASST.

Family-directed umbilical cord blood banking. Gluckman et al.; . 2011, Nov;96(11):1700-7.

Effective treatment of severe steroid-resistant acute graft-versus-host disease with umbilical cord-derived mesenchymal stem cells. Wu et al., Transplantation. 2011 Jun 27;91(12):1412-6.

Live Chat