A Diabetes afeta a capacidade terapêutica de células estaminais mesenquimais

O potencial terapêutico das células estaminais têm sido demonstrado tanto em laboratório, como em modelos animais e em ensaios clínicos em humanos. No entanto, as células utilizadas nestes estudos são células de indivíduos saudáveis. Poucos são os estudos que avaliam este potencial em células estaminais provenientes de doentes. Contudo, no contexto da medicina regenerativa com células estaminais mesenquimais (MSCs), a utilização autóloga faz todo o sentido. Esse é, por exemplo, o caso da diabetes, onde as MSCs se mostram eficazes no tratamento das complicações associadas a esta doença.

Neste contexto, foi recentemente publicado, na revista “Cell Transplantation” um estudo, realizado em ratos, onde foi demonstrado que as MSCs de diabéticos tem menor capacidade terapêutica. Neste estudo, os investigadores induziram diabetes em ratos e isolaram as MSCs a partir da sua medula óssea. Posteriormente compararam as MSCs de ratos diabéticos com as MSCs de ratos normais e verificaram que a diabetes afetava várias características destas células. O número de MSCs obtidas a partir de ratos diabéticos era menor e estas tinham menor capacidade de proliferação. Quando induzida a sua diferenciação em células precursoras do osso, obtiveram-se menos células diferenciadas. As MSCs dos ratos diabéticos tinham menor capacidade angiogénica (capacidade de promover a formação de novos vasos sanguíneos) e eram incapazes de promover a recuperação da isquémia (paragem ou redução do fornecimento de sangue) induzida nos membros posteriores dos ratos. Estes resultados sugerem que com o desenvolvimento da doença as características das células estaminais são afetadas.

Este estudo confirma outros estudos previamente realizados, com células progenitoras endoteliais e células estaminais da medula óssea, que demonstraram que a diabetes afeta as características das células estaminais, o que sugere que fará todo o sentido criopreservar células estaminais antes do aparecimento de doenças que possam comprometer a sua capacidade terapêutica.

 

Referência:

“Diabetic mesenchymal stem cells are ineffective for improving limb 
ischemia due to their impaired angiogenic capability”. Kim H, Han JW, Lee JY, Choi YJ, Sohn YD, Song M, Yoon YS. Cell Transplant. 2014 Jul 8.