Europa deu parecer positivo a nova terapia com células estaminais

A agência europeia de medicamentos (EMA) recomendou a aprovação, na União Europeia, do primeiro produto medicinal de terapia avançada (ATMP) baseado em células estaminais – o Holoclar. Este produto destina-se ao tratamento da insuficiência limbar moderada ou severa em adulto, sendo o primeiro medicamento recomendado para tratar esta doença, a qual pode levar à cegueira.

No olho existem células estaminais limbares com a função de regenerar lesões da córnea, no entanto algumas agressões, tais como queimaduras ou uso prolongado de lentes de contacto, ou algumas doenças congénitas, podem destruir estas células resultando no desenvolvimento de insuficiência límbar. Os sintomas incluem dor, fotofobia (sensibilidade à luz), inflamação, vascularização da córnea e opacidade da córnea, resultando no desenvolvimento de problemas de visão que poderão levar à cegueira total. Estima-se que esta doença afete cerca de 3 em cada 100000 pessoas na União Europeia, sendo por isso considerada uma doença rara. Por essa razão, e por não existir atualmente nenhum tratamento para esta doença, foi possível atribuir ao Holoclar a designação de medicamento órfão permitindo um maior apoio por parte da EMA incluindo aconselhamento científico durante o desenvolvimento do produto.

O Holoclar é constituído por células estaminais autólogas que são previamente removidas, por biopsia, de uma pequena região do olho que não esteja danificada. As células estaminais são colocadas em cultura para se obter um maior número de células e são depois transplantadas para região do olho afetada.

Segundo a EMA esta nova terapia oferece uma alternativa aos transplantes convencionais e é especialmente eficaz em lesões graves. Apresenta a vantagem de utilizar as células do próprio doente, o que reduz a probabilidade de rejeição, e de requerer apenas uma pequena cirurgia ocular.

Esta autorização representa um grande passo para que outras terapias com células estaminais cheguem aos doentes. Aguarda-se a aprovação da Comissão Europeia, esperando-se a chegada deste produto ao mercado em Fevereiro ou Março.

Fonte:

http://www.bbc.com/news/health-30550113

http://www.ema.europa.eu/docs/en_GB/document_library/Press_release/2014/12/WC500179333.pdf