Aplicação de células estaminais em suturas pode melhorar a cicatrização em lesões do tendão de Aquiles

As lesões do tendão de Aquiles são comuns durante a prática desportiva, sendo normalmente necessário reparar o tendão rasgado cirurgicamente através de uma sutura (popularmente designados de pontos cirúrgicos). A cicatrização do tendão após a cirurgia é um procedimento lento e complicado que resulta num tendão mais fraco e limitado, facto que está na origem de incapacidade (de maior ou menor grau) após a cura da lesão.

Um grupo de investigadores nos EUA demonstrou que a aplicação células mesenquimais directamente na sutura pode acelerar o processo de cicatrização do tendão de Aquiles e originar tendões mais fortes.

O estudo foi publicado na edição de Março da revista científica Foot & Ankle International  e avaliou o efeito da utilização de células mesenquimais, isoladas de medula óssea, em ratos aos quais se seccionou o tendão de Aquiles. Os autores compararam cirurgias de reconstrução em 3 condições diferentes: sutura tradicional; sutura seguida de injecção de células mesenquimais no local; e, sutura com células mesenquimais embebidas na linha de sutura. Os resultados demonstram que o grupo que fez a sutura com células mesenquimais embebidas cicatrizou mais rapidamente e obteve tendões mais fortes.

As células estaminais não só favoreceram uma melhor reparação a nível celular, como também o próprio tendão, quando comparado com o outro grupo do estudo, estava mais forte e resistente 4 semanas após a cirurgia. Estes resultados são promissores e abrem as portas para o desenvolvimento de um ensaio clinico em humanos.

 

Fonte: Foot & Ankle International March 2014 vol. 35 no. 3 293-299