Blogue de Células Estaminais

Se procura uma opinião especializada e transparente sobre
as células estaminais, agora poderá seguir aqui o blogue da
Dra. Alexandra Machado, uma das mais conceituadas
especialistas em criopreservação de células estaminais
em Portugal.

Células estaminais mesenquimais de sangue do cordão umbilical com potencial para tratamento da disfunção eréctil após cirurgia da próstata

Na Europa, o cancro da próstata é o tipo de cancro mais frequente entre os indivíduos do sexo masculino, sendo a terceira causa de morte oncológica em Portugal. Cerca de 90 % dos casos de cancro da próstata estão localizados (confinado à glândula), e nestes casos o tratamento padrão é a cirurgia para remoção da próstata (prostatectomia radical). No entanto, a disfunção eréctil é uma das complicações associada a esta cirurgia. No processo de remoção da próstata é necessária a manipulação da região que contém os nervos responsáveis pela função eréctil, cuja eventual lesão pode provocar disfunção eréctil. Um estudo recente, publicado na revista Biotechnology Letters, demonstra que as células estaminais mesenquimais de sangue do cordão umbilical induzem melhoria na função eréctil em ratos. Para … Continuar a ler

Células estaminais da polpa dentária com potencial para regenerar córnea – testes em ratinhos

Milhões de indivíduos em todo o mundo desenvolvem cegueira, devido a doenças da córnea (lesões provocadas por traumatismos ou infeções, ou ainda doenças genéticas). Este tipo de cegueira pode ser reversível desde que as restantes estruturas do olho estejam preservadas. Nestes casos, recorre-se ao transplante de córnea proveniente de cadáveres. Mas o fornecimento destas córneas é limitado, não permitindo satisfazer todas as necessidades, e neste tipo de transplantes também existe o risco de rejeição (em cerca de 38% dos transplantes). Dados da EBAA (Associação Americana de Bancos do Olho) indicam que só nos EUA foram realizados cerca de 70 000 transplantes de córnea no ano passado. Em Portugal, segundo a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, são realizados cerca de 700 transplantes de córnea por ano. A … Continuar a ler

Ensaio clinico com tratamento pioneiro utilizando dois tipos de células estaminais de cordão umbilical para o tratamento da Paralisia Cerebral

Foi recentemente anunciado o lançamento de um novo ensaio clinico utilizando um tratamento inovador para a Paralisia Cerebral. Este ensaio clinico envolverá vários centros clínicos e irá averiguar a segurança e eficácia da infusão dupla de dois tipos de células estaminais autólogas derivadas de sangue e tecido do cordão umbilical. O ensaio clinico irá utilizar uma amostra de sangue do cordão umbilical e uma amostra de células mesenquimais de tecido do cordão umbilical expandida ex-vivo. Atualmente existem vários estudos clínicos internacionais centrados no uso de células estaminais do cordão umbilical para o tratamento da paralisia cerebral, mas a utilização das células mesenquimais do tecido e do sangue do cordão umbilical em conjunto é uma novidade. A Paralisia Cerebral resulta de uma lesão ou anomalia no … Continuar a ler

Esclerose múltipla – Transplante de células estaminais VS terapias convencionais

A esclerose múltipla é a mais comum das doenças desmielinizantes, sendo caracterizada pela localização de múltiplas placas de desmielinização na substância branca encefálica e medular. Estas placas são lesões que resultam do “ataque” do sistema imunológico do próprio doente à mielina (substância que protege as fibras nervosas). As lesões causam sinais e sintomas neurológicos intermitentes que, com a evolução da doença se vão progressivamente agravando. Esta é uma doença autoimune, crónica, que ainda não tem cura. O transplante de células estaminais hematopoiéticas tem sido realizado, em contexto de ensaios clínicos, no tratamento de várias doenças autoimunes com o objetivo de reiniciar o sistema imunitário, anulando o “ataque” das células do próprio individuo. Segundo o EBMT (Europeean Group for Blood and Marrow Transplantation), em todo o … Continuar a ler

Foi realizado com sucesso o primeiro transplante com uma unidade criopreservada de sangue de cordão umbilical (SCU) expandido

A Gamida Cell Ltd. anunciou recentemente o primeiro transplante com uma amostra criopreservada do seu produto derivado de sangue do cordão umbilical – NiCord®. Esta empresa, com sede em Israel, tem apostado na expansão de células estaminais de sangue do cordão umbilical (aumento do número de células) para permitir o acesso a esta fonte de células estaminais a mais doentes, ultrapassando a limitação do número de células existente em cada amostra de SCU. No ano passado publicaram os resultados de um ensaio clinico, utilizando um produto que resulta da expansão de uma amostra de sangue do cordão umbilical através de uma tecnologia própria, ao qual deram a designação de NiCord®. Os resultados publicados foram muito positivos, demonstrando que o NiCord® potencia um maior sucesso dos … Continuar a ler

Europa deu parecer positivo a nova terapia com células estaminais

A agência europeia de medicamentos (EMA) recomendou a aprovação, na União Europeia, do primeiro produto medicinal de terapia avançada (ATMP) baseado em células estaminais – o Holoclar. Este produto destina-se ao tratamento da insuficiência limbar moderada ou severa em adulto, sendo o primeiro medicamento recomendado para tratar esta doença, a qual pode levar à cegueira. No olho existem células estaminais limbares com a função de regenerar lesões da córnea, no entanto algumas agressões, tais como queimaduras ou uso prolongado de lentes de contacto, ou algumas doenças congénitas, podem destruir estas células resultando no desenvolvimento de insuficiência límbar. Os sintomas incluem dor, fotofobia (sensibilidade à luz), inflamação, vascularização da córnea e opacidade da córnea, resultando no desenvolvimento de problemas de visão que poderão levar à cegueira … Continuar a ler

Novo tipo de células estaminais obtidas a partir de células da pele

Vários investigadores de diferentes países desenvolveram um projeto com o objetivo de compreender os mecanismos moleculares envolvidos na reprogramação das células maduras em células estaminais pluripotentes induzidas (iPSCs). Este projeto surgiu na sequência do trabalho desenvolvido pelo investigador japonês Shinya Yamanaka, que em 2006 conseguiu obter iPSCs introduzindo apenas 4 genes em células maduras da pele. Este trabalho valeu-lhe o nobel da medicina em 2012. No entanto, os mecanismos envolvidos no processo de reprogramação das células maduras não eram conhecidos. Para tentar compreender este processo, este grupo de investigadores utilizou uma nova técnica para a introdução dos 4 genes, em substituição da utilização de vírus (como no caso das iPSCs) usando transposões (pequenas porções de DNA que permitem introduzir os genes nas células de uma … Continuar a ler

Estudo em ratos demonstra potencial de células mesenquimais para obtenção de bexigas

A bexiga é um órgão complexo, cuja principal função é armazenar e eliminar urina, contudo, existem várias doenças que podem afetar o seu funcionamento. Em muitos casos é necessário aumentar a capacidade ou substituir a bexiga, de forma a preservar a função renal, adquirir continência, impedir infeções do trato urinário e promover um esvaziamento voluntário e completo da bexiga. O tratamento padrão, nestas situações, passa pela utilização de um segmento do intestino para aumentar ou substituir a bexiga, no entanto, esta terapêutica está associada a várias complicações. Neste contexto, um grupo de investigadores demonstrou recentemente, num estudo realizado em ratos, que é possível obter uma bexiga funcional utilizando células estaminais mesenquimais e uma matriz (o “esqueleto”) de bexiga. Os investigadores retiraram bexigas de ratos que … Continuar a ler

Células estaminais permitem a regeneração de maxilar para colocação de implantes dentários

Lesões traumáticas da face são comuns. Cerca de metade destas resultam na perda de dentes e do tecido ósseo que os suportam. Este tipo de lesão é muito difícil de tratar, deixando o doente debilitado funcionalmente e esteticamente, incluindo a impossibilidade de colocação de implantes dentários. Um estudo, publicado na revista Stem Cells Translational Medicine, descreve a utilização de células estaminais para a regeneração do maxilar numa doente de 45 anos. A doente tinha perdido 7 dentes e 75 % do maxilar que os suportava, 5 anos antes, ficando com várias deficiências funcionais e estéticas. Os investigadores utilizaram um suporte absorvível (que desaparecerá ao fim de algum tempo) onde colocaram células estaminais isoladas da medula óssea da própria doente. O suporte com as células foi … Continuar a ler

Implantado primeiro dispositivo com células estaminais para tratamento de diabetes tipo I em doente

Uma empresa de medicina regenerativa dos EUA (Viacyte) anunciou recentemente que implantou, pela primeira vez num doente, um dipositivo com células estaminais para tratar diabetes tipo I. A empresa iniciou em setembro um ensaio clínico de fase I/II para testar a segurança, tolerabilidade e eficácia de um produto, desenvolvido ao longo de 10 anos, para o tratamento da diabetes tipo I. O produto final, designado VC-01, é uma combinação de células percursoras de células pancreáticas, colocadas dentro de um dispositivo poroso impermeável a células. O dispositivo permite proteger as células implantadas de possíveis ataques pelo sistema imunitário, impede que estas se dispersem e serve de suporte para a formação de vasos sanguíneos ao redor do dispositivo (processo essencial para a sobrevivência das células e para … Continuar a ler

Live Chat