Blogue de Células Estaminais

Se procura uma opinião especializada e transparente sobre
as células estaminais, agora poderá seguir aqui o blogue da
Dra. Alexandra Machado, uma das mais conceituadas
especialistas em criopreservação de células estaminais
em Portugal.

Tecido adiposo autólogo eficaz no tratamento da osteoartrite

A osteoartrite ou osteoartrose (OA) é a doença articular mais comum, afetando 10-15 % da população mundial, com uma incidência superior a 60% nos homens e a 70% nas mulheres com mais de 65 anos de idade. Esta doença degenerativa das articulações causa dor e incapacidade física, sendo a principal responsável pelo absentismo laboral após os 50 anos de idade. A idade é o principal fator de risco da osteoartrite, sendo por isso previsível que, dado o envelhecimento da população, haja um aumento significativo na incidência desta doença nas próximas décadas. Neste contexto um grupo de investigadores desenvolveu um estudo com o objetivo de avaliar a eficácia da utilização de células estaminais isoladas do tecido adiposo autólogo (do próprio) em doentes com osteoartrite. Este estudo … Continuar a ler

Transplante autólogo de sangue do cordão umbilical após leucemia mielóide aguda secundária ao tratamento de um neuroblastoma

O neuroblastoma é o tumor mais frequente durante os primeiros anos de vida, surgindo frequentemente numa glândula suprarrenal, mas podendo desenvolver‑se noutras localizações. A leucemia aguda (LA) secundária ao tratamento do neuroblastoma é geralmente resistente ao tratamento, com mau prognóstico, podendo o transplante com células estaminais possibilitar sobrevida de longa duração. Foi recentemente publicado o caso de uma criança que, na sequência ao tratamento de um neuroblastoma, apresentou um quadro clínico de LA, e que após transplante não relacionado de sangue de cordão umbilical (SCU) para tratar a LA, desenvolveu perda do enxerto, com um quadro clínico crítico, necessitando de terapêutica celular de resgate para recuperação hematopoiética. A menina, com 4 anos de idade, apresentou um neuroblastoma primário em estádio 4, na glândula suprarrenal direita, com … Continuar a ler

Tratamento de fístulas na doença de Crohn com células estaminais: resultados positivos após 2 anos

Foi recentemente publicado na revista Stem Cell Translational Medicine o resultado de um estudo demonstrando o benefício do tratamento com células estaminais do tecido adiposo no tratamento de fístulas associadas à doença de Crohn. A Doença de Crohn é uma doença inflamatória crónica do intestino que pode afetar qualquer região do tubo digestivo, mas é mais frequente na região terminal do intestino delgado. Apesar de poder afetar qualquer grupo etário, surge com mais frequência entre os 16 e os 40 anos. Em Portugal, a prevalência estimada desta doença é de 73 por 100 000 habitantes. Uma das complicações associadas à doença de Crohn é a formação de fístulas, que resultam da extensão de úlceras através da parede do intestino criando uma ligação anormal entre o … Continuar a ler

Células estaminais mesenquimais melhoram significativamente a reparação de tendões e reduzem o risco de novas lesões em cirurgias do ombro- resultados após 10 anos

Os resultados da injeção de células estaminais mesenquimais em cirurgias ao ombro para reparar lesões de tendões foram recentemente apresentadas no congresso anual da Sociedade Americana de Cirurgiões Ortopédicos. As patologias associadas aos tendões dos ombros são frequentes, nomeadamente rutura dos tendões da coifa dos rotadores (essenciais para a mobilidade do ombro), e aumentam com a idade, podendo provocar dor e/ou limitação funcional. Este tipo de lesão pode ocorrer durante uma queda ou outro traumatismo, ou resultar do envelhecimento ou uso repetido da articulação, sendo muitas vezes necessário recorrer à cirurgia para reparar essas lesões. No entanto, é vulgar ocorrer uma nova rutura dessas lesões ou o aparecimento de novas lesões. Um grupo de investigadores franceses realizou um estudo para avaliar o efeito de uma … Continuar a ler

Células estaminais mesenquimais de sangue do cordão umbilical com potencial para tratamento da disfunção eréctil após cirurgia da próstata

Na Europa, o cancro da próstata é o tipo de cancro mais frequente entre os indivíduos do sexo masculino, sendo a terceira causa de morte oncológica em Portugal. Cerca de 90 % dos casos de cancro da próstata estão localizados (confinado à glândula), e nestes casos o tratamento padrão é a cirurgia para remoção da próstata (prostatectomia radical). No entanto, a disfunção eréctil é uma das complicações associada a esta cirurgia. No processo de remoção da próstata é necessária a manipulação da região que contém os nervos responsáveis pela função eréctil, cuja eventual lesão pode provocar disfunção eréctil. Um estudo recente, publicado na revista Biotechnology Letters, demonstra que as células estaminais mesenquimais de sangue do cordão umbilical induzem melhoria na função eréctil em ratos. Para … Continuar a ler

Células estaminais da polpa dentária com potencial para regenerar córnea – testes em ratinhos

Milhões de indivíduos em todo o mundo desenvolvem cegueira, devido a doenças da córnea (lesões provocadas por traumatismos ou infeções, ou ainda doenças genéticas). Este tipo de cegueira pode ser reversível desde que as restantes estruturas do olho estejam preservadas. Nestes casos, recorre-se ao transplante de córnea proveniente de cadáveres. Mas o fornecimento destas córneas é limitado, não permitindo satisfazer todas as necessidades, e neste tipo de transplantes também existe o risco de rejeição (em cerca de 38% dos transplantes). Dados da EBAA (Associação Americana de Bancos do Olho) indicam que só nos EUA foram realizados cerca de 70 000 transplantes de córnea no ano passado. Em Portugal, segundo a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, são realizados cerca de 700 transplantes de córnea por ano. A … Continuar a ler

Ensaio clinico com tratamento pioneiro utilizando dois tipos de células estaminais de cordão umbilical para o tratamento da Paralisia Cerebral

Foi recentemente anunciado o lançamento de um novo ensaio clinico utilizando um tratamento inovador para a Paralisia Cerebral. Este ensaio clinico envolverá vários centros clínicos e irá averiguar a segurança e eficácia da infusão dupla de dois tipos de células estaminais autólogas derivadas de sangue e tecido do cordão umbilical. O ensaio clinico irá utilizar uma amostra de sangue do cordão umbilical e uma amostra de células mesenquimais de tecido do cordão umbilical expandida ex-vivo. Atualmente existem vários estudos clínicos internacionais centrados no uso de células estaminais do cordão umbilical para o tratamento da paralisia cerebral, mas a utilização das células mesenquimais do tecido e do sangue do cordão umbilical em conjunto é uma novidade. A Paralisia Cerebral resulta de uma lesão ou anomalia no … Continuar a ler

Esclerose múltipla – Transplante de células estaminais VS terapias convencionais

A esclerose múltipla é a mais comum das doenças desmielinizantes, sendo caracterizada pela localização de múltiplas placas de desmielinização na substância branca encefálica e medular. Estas placas são lesões que resultam do “ataque” do sistema imunológico do próprio doente à mielina (substância que protege as fibras nervosas). As lesões causam sinais e sintomas neurológicos intermitentes que, com a evolução da doença se vão progressivamente agravando. Esta é uma doença autoimune, crónica, que ainda não tem cura. O transplante de células estaminais hematopoiéticas tem sido realizado, em contexto de ensaios clínicos, no tratamento de várias doenças autoimunes com o objetivo de reiniciar o sistema imunitário, anulando o “ataque” das células do próprio individuo. Segundo o EBMT (Europeean Group for Blood and Marrow Transplantation), em todo o … Continuar a ler

Foi realizado com sucesso o primeiro transplante com uma unidade criopreservada de sangue de cordão umbilical (SCU) expandido

A Gamida Cell Ltd. anunciou recentemente o primeiro transplante com uma amostra criopreservada do seu produto derivado de sangue do cordão umbilical – NiCord®. Esta empresa, com sede em Israel, tem apostado na expansão de células estaminais de sangue do cordão umbilical (aumento do número de células) para permitir o acesso a esta fonte de células estaminais a mais doentes, ultrapassando a limitação do número de células existente em cada amostra de SCU. No ano passado publicaram os resultados de um ensaio clinico, utilizando um produto que resulta da expansão de uma amostra de sangue do cordão umbilical através de uma tecnologia própria, ao qual deram a designação de NiCord®. Os resultados publicados foram muito positivos, demonstrando que o NiCord® potencia um maior sucesso dos … Continuar a ler

Europa deu parecer positivo a nova terapia com células estaminais

A agência europeia de medicamentos (EMA) recomendou a aprovação, na União Europeia, do primeiro produto medicinal de terapia avançada (ATMP) baseado em células estaminais – o Holoclar. Este produto destina-se ao tratamento da insuficiência limbar moderada ou severa em adulto, sendo o primeiro medicamento recomendado para tratar esta doença, a qual pode levar à cegueira. No olho existem células estaminais limbares com a função de regenerar lesões da córnea, no entanto algumas agressões, tais como queimaduras ou uso prolongado de lentes de contacto, ou algumas doenças congénitas, podem destruir estas células resultando no desenvolvimento de insuficiência límbar. Os sintomas incluem dor, fotofobia (sensibilidade à luz), inflamação, vascularização da córnea e opacidade da córnea, resultando no desenvolvimento de problemas de visão que poderão levar à cegueira … Continuar a ler

Live Chat