Blogue de Células Estaminais

Se procura uma opinião especializada e transparente sobre
as células estaminais, agora poderá seguir aqui o blogue da
Dra. Alexandra Machado, uma das mais conceituadas
especialistas em criopreservação de células estaminais
em Portugal.

Ensaio clinico investiga a aplicação de células percursoras mesenquimais para regeneração de discos intervertebrais e apresenta resultados preliminares promissores

Foram recentemente apresentados os resultados preliminares de um ensaio clinico com células mesenquimais percursoras para tratar doentes com lombalgia crónica associada a doença discal degenerativa. A lombalgia (dor nas costas) é uma das principais queixas apresentadas em consultas médicas em todo o mundo. São várias as causas para esta condição, mas um diagnóstico comum é a degeneração dos discos intervertebrais. Os tratamentos mais frequentes incluem fisioterapia e medicação, mas em casos mais graves a única alternativa é a cirurgia. A empresa Norte Americana Mesoblast, com foco na área da medicina regenerativa, desenvolveu um produto a partir de células percursoras mesenquimais alogénicas (MPCs) que demonstrou, em estudos pré-clínicos, ser capaz de reparar a estrutura dos discos intervertebrais. Com base nesses estudos, foi iniciado há um ano … Continuar a ler

A regeneração celular pode aliviar os sintomas da doença de Alzheimer

A Doença de Alzheimer é a doença neurodegenerativa com maior prevalência em todo o mundo. O sintoma mais conhecido desta doença é a perda de memória, mas esta doença também afecta o comportamento e as capacidades cognitivas e motoras. Um grupo de investigadores da Universidade de Tel Aviv publicou recentemente um estudo, realizado em ratinhos, onde demonstram que ao estimular a regeneração de células neuronais (neurogénese), na região do cérebro que controla o comportamento, alguns sintomas da doença diminuem significativamente, ou são mesmo revertidos. Estes investigadores acreditam que a neurogénese poderá ser um alvo terapêutico para aliviar os problemas de comportamento em doentes com Alzheimer. Para testar essa hipótese, e utilizando ratinhos com sintomas semelhantes aos da Doença de Alzheimer, injectaram, na região do cérebro … Continuar a ler

Aprovado um ensaio clínico com células estaminais do cordão umbilical para tratar Esclerose Múltipla

Foi recentemente aprovado um ensaio clínico de fase I/II para utilização de células estaminais mesenquimais de cordão umbilical para tratar a esclerose múltipla. Este ensaio, a decorrer no Panamá, encontra-se registado no site www.clinicaltrials.gov com o número NCT02034188, e está a recrutar doentes entre os 18 e os 55 anos. A Esclerose Múltipla é uma doença auto-imune (isto é, as células imunológicas defensoras contra agentes nocivos atacam as células do próprio organismo) que afecta mais de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo. Caracteriza-se por uma inflamação crónica do sistema nervoso central, interferindo com a capacidade de controlar funções como a visão, o equilíbrio, a capacidade de andar ou de controlar a bexiga e os intestinos, entre outras. As células estaminais mesenquimais isoladas de … Continuar a ler

Cura para a calvície pode estar nas células estaminais

De acordo com a Academia Americana de Dermatologia, o tipo mais comum de ausência de cabelo, ou alopecia, é a perda de cabelo hereditária que afeta cerca de 80 milhões de homens e mulheres nos EUA. Atualmente os tratamentos para a perda de cabelo hereditária, também conhecida como calvície, incluem o recurso a transplantes de cabelo, uso de certos medicamentos, ou de equipamentos laser capazes de estimular o crescimento do cabelo, entre outros. Segundo um estudo recente, publicado na revista Nature Communications, foram pela primeira vez utilizadas células estaminais epiteliais humanas para regenerar folículos pilosos em ratinhos. Os investigadores adicionaram três genes a células epiteliais humanas, conhecidas como fibroblastos dérmicos, convertendo-as eficazmente em células estaminais pluripotentes induzidas (iPSCs), a partir das quais é possível obter … Continuar a ler

Células estaminais derivadas de tecido muscular promovem a regeneração de lesões em nervos periféricos

Foi recentemente publicado, na revista cientifica Journal of Clinical Investigation, o resultado de um estudo que demonstra que é possível, a partir de células estaminais derivadas de tecido muscular, reparar uma lesão neuronal recuperando a sua função. Os actuais tratamentos para lesões de nervos periféricos (os nervos fora do cérebro e da espinal medula) não são eficazes, deixando em muitos casos os doentes com perda parcial ou total da função dos músculos afectados, dor e perda de sensibilidade. Os resultados deste estudo são por isso importantes pois demonstram que é possível através de terapia celular tratar algumas neuropatias. Os investigadores isolaram células estaminais a partir de músculo-esquelético humano e, em ensaios in vitro, colocaram-nas num meio adaptado para cultura de células neuronais. Descobriram que nestas … Continuar a ler

Aplicação de células estaminais em suturas pode melhorar a cicatrização em lesões do tendão de Aquiles

As lesões do tendão de Aquiles são comuns durante a prática desportiva, sendo normalmente necessário reparar o tendão rasgado cirurgicamente através de uma sutura (popularmente designados de pontos cirúrgicos). A cicatrização do tendão após a cirurgia é um procedimento lento e complicado que resulta num tendão mais fraco e limitado, facto que está na origem de incapacidade (de maior ou menor grau) após a cura da lesão. Um grupo de investigadores nos EUA demonstrou que a aplicação células mesenquimais directamente na sutura pode acelerar o processo de cicatrização do tendão de Aquiles e originar tendões mais fortes. O estudo foi publicado na edição de Março da revista científica Foot & Ankle International  e avaliou o efeito da utilização de células mesenquimais, isoladas de medula óssea, … Continuar a ler

Células estaminais no tratamento de doenças pulmonares em bebés prematuros

Com os avanços dos cuidados neonatais, a sobrevivência de recém-nascidos muito prematuros tornou-se uma realidade. No entanto, estas crianças têm um elevado risco de desenvolver displasia broncopulmonar, uma grave doença pulmonar que é a principal causa de morte e diminuição da qualidade de vida nestas crianças. Em crianças muito prematuras, os pulmões ainda não estão completamente formados, sendo necessário ligar a criança a um ventilador artificial, o que pode resultar na inflamação dos pulmões, causando as lesões pulmonares que caracterizam a displasia broncopulmonar. Com o objectivo de prevenir esta patologia, um grupo de investigadores da Coreia realizou um ensaio clinico de fase I para testar se a utilização de terapia com células estaminais em crianças muito prematuras com elevado risco de desenvolver displasia broncopulmonar era … Continuar a ler

Utilização de células estaminais do tecido adiposo em cirurgias reconstrutivas da face e do crânio

Um estudo publicado na revista STEM CELLS Translational Medicine mostra que doentes com defeitos no crânio, face ou mandíbula podem vir a beneficiar de cirurgia reconstrutiva que combina células estaminais do tecido adiposo (gordura) com biomateriais reabsorvíveis. Os defeitos que podem vir a ser tratados com esta abordagem podem ser devidos a malformações congénitas (como o lábio leporino ou a fenda palatina), lesões traumáticas ou cirurgias para remoção de tumores. O estudo da STEM CELLS Translational Medicine acompanhou 13 doentes submetidos a procedimentos de medicina regenerativa. Este estudo, levado a cabo por cientistas e médicos finlandeses, teve como objetivo analisar a experiência de 13 pessoas com defeitos em tecidos duros de 4 locais anatomicamente diferentes: seio frontal (3 casos), osso craniano (5 casos), mandíbula (3 … Continuar a ler

Produção de plaquetas em grande escala usando células estaminais pluripotentes induzidas

As plaquetas, cuja principal função é prevenir hemorragias, são vitais para o tratamento de muitas doenças do sangue e traumatismos. O fornecimento destas células sanguíneas através de transfusão é frequentemente insuficiente para atender às necessidades pois a doação é escassa. Para resolver este problema, um grupo de investigadores desenvolveu uma estratégia clinicamente aplicável para a derivação de plaquetas funcionais a partir de células estaminais pluripotentes induzidas (iPSC) humanas. Segundo o artigo publicado na revista Cell Stem Cell, este grupo de investigadores conseguiu fazer uma produção em grande escala de plaquetas a partir de iPSC. De acordo com o artigo, a equipa de investigação manipulou geneticamente células de forma a transformá-las em células produtoras de plaquetas, chamadas progenitores de megacariócitos. A partir destes progenitores de megacariócitos … Continuar a ler

Tratamento de tuberculose multirresistente três vezes mais eficaz com células estaminais

Foi recentemente publicado um estudo sobre o tratamento de tuberculose multirresistente (MDR) usando células estaminais dos próprios doentes. O tratamento convencional da tuberculose MDR é feito por recurso a uma combinação de antibióticos, no entanto nem todos os doentes respondem a este tratamento. Como a tuberculose atinge geralmente os pulmões e as células estaminais mesenquimais (MSC) migram para os pulmões em resposta a inflamação ou lesão promovendo reparação/regeneração, investigadores do Hospital Universitário Karolinska, na Suécia, decidiram testar se o uso de MSC dos próprios doentes poderia melhorar o tratamento usual da tuberculose MDR. Os investigadores administraram os antibióticos convencionais a 30 doentes com tuberculose MDR em combinação com aproximadamente 10 milhões de MSC da medula óssea dos próprios doentes. Passados 18 meses, compararam os valores … Continuar a ler

Live Chat