Blogue de Células Estaminais

Se procura uma opinião especializada e transparente sobre
as células estaminais, agora poderá seguir aqui o blogue da
Dra. Alexandra Machado, uma das mais conceituadas
especialistas em criopreservação de células estaminais
em Portugal.

Células STAP – o que são?

Uma nova técnica, desenvolvida por investigadores japoneses, permite transformar células adultas em células semelhantes às embrionárias (indiferenciadas e pluripotentes) de um modo simples e totalmente “não invasivo”, apenas com uma modificação do pH do meio onde as células são cultivadas em laboratório. As células produzidas por esta técnica foram denominadas de células STAP, sigla em inglês para Stimulus-Triggered Acquisition of Pluripotency, em português, aquisição de pluripotência desencadeada por um estímulo. A técnica está descrita em dois trabalhos, publicados simultaneamente na revista Nature. Os investigadores mostram que é possível induzir a reprogramação de células adultas em células pluripotentes (capazes de produzir vários tipos de células) apenas por exposição a um meio de cultura mais ácido (de pH mais baixo), sem a necessidade de introduzir novos genes … Continuar a ler

Vantagens e limitações do sangue do cordão umbilical relativamente à medula óssea/sangue periférico

Desde o sucesso do primeiro transplante com sangue do cordão umbilical (SCU), em 1988, foram já realizados mais de 30.000 transplantes, cerca de 75% dos quais nos últimos seis anos. Estes valores demonstram a crescente adoção do SCU como opção terapêutica e para isso muito contribuem as vantagens que o SCU apresenta face a outras fontes de células estaminais hematopoiéticas: medula óssea e sangue periférico. Entre as principais vantagens destacam-se as seguintes: – O SCU contém um maior número de células estaminais hematopoiéticas por unidade de volume, quando comparado com o sangue periférico ou com a medula óssea (cerca de 10 vezes mais – Apresenta menor risco de doença do enxerto contra hospedeiro (GVHD), uma complicação grave que pode ocorrer após um transplante hematopoiético – … Continuar a ler

Infusões de Células Estaminais do Sangue e do Tecido do Cordão Umbilical em Crianças com Autismo – Resultados de um Ensaio Clínico

O autismo é uma doença que aflige um grande número de pessoas. É uma perturbação neurológica generalizada que afeta a capacidade de comunicação, de socialização e de comportamento. As causas do autismo estão ainda por definir e a sua terapêutica é em grande parte limitada a intervenções comportamentais. Há algum tempo atrás iniciou-se um ensaio clínico para investigar a segurança e eficácia de infusões de células do sangue do cordão umbilical (SCU) e do tecido do cordão umbilical (TCU) no tratamento de crianças com autismo. No estudo foram incluídas 37 crianças autistas, tendo sido divididas em três grupos: o grupo SCU (14 crianças) recebeu infusões de SCU e terapia de reabilitação; o grupo de combinação (9 crianças) recebeu infusões de SCU e TCU e terapia … Continuar a ler

Criança com paralisia cerebral recebe infusão de células estaminais do seu sangue do cordão umbilical

Em Espanha, no passado dia 10 de dezembro de 2013, uma menina de 4 anos de idade com paralisia cerebral recebeu uma infusão de células estaminais do seu próprio sangue do cordão umbilical. A paralisia cerebral é uma das principais áreas de investigação da utilização terapêutica das células estaminais do sangue do cordão umbilical. A infusão foi realizada pelo Dr. Luis Madero, chefe do departamento de hemato-oncologia do Hospital Niño Jesús, em Madrid. Esta é a terceira infusão deste tipo realizada pelo Dr. Madero para o tratamento de paralisia cerebral infantil. Segundo o Dr. Luis Madero, embora este tipo de tratamentos se encontrem ainda em fases muito iniciais de investigação, acredita se que as terapias regenerativas com células estaminais possam ser uma opção terapêutica para … Continuar a ler

Investigação em Portugal na área das Células Estaminais

A investigação científica em células estaminais (CE) tem evoluído consideravelmente e muitos estudos estão inclusive a desenrolar-se bem perto das nossas casas, em laboratórios portugueses. São vários os grupos, de norte a sul do país, que fazem investigação na área das CE, focando o seu trabalho em temas como: as células estaminais embrionárias, células estaminais adultas de várias fontes, células estaminais cancerígenas, a importância das CE nas doenças neurodegenerativas, na engenharia de tecidos e na medicina regenerativa, a expansão de células estaminais, entre outros. O interesse nesta área é tal que em 2004 cerca de 70 investigadores portugueses decidiram fundar a Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular (SPCE-TC). Esta sociedade congrega cientistas portugueses que trabalham, em Portugal e no estrangeiro, em várias instituições … Continuar a ler

Medicamentos produzidos a partir de células estaminais

As células estaminais são extraordinariamente promissoras para o tratamento de várias doenças. Nos últimos anos registaram-se grandes avanços no tratamento de doenças graves do sangue e do sistema imunitário com células estaminais hematopoiéticas (medula óssea, sangue periférico e sangue do cordão umbilical). Estes avanços mostram quão poderosas podem ser as terapias com células estaminais. Cientistas de todo o mundo usam células estaminais para saber mais sobre como diagnosticar e tratar várias doenças, e esta investigação está a levar-nos mais perto de novos tratamentos. São vários os potenciais tratamentos que se encontram em estudo em modelos animais, outros em fase de ensaios clínicos em humanos e outros ainda deram já origem a medicamentos com base em células estaminais. São exemplo disso o Prochymal®, produzido pela Osiris, … Continuar a ler

Uma fonte de informação para pais sobre o sangue do cordão umbilical

O site Parent’s Guide to Cord Blood Foundation tem como principal missão fornecer aos pais informação relevante e isenta sobre tratamentos e opções de armazenamento de sangue do cordão umbilical. Neste site é possível encontrar as razões a favor e contra o armazenamento de sangue do cordão umbilical, as diferenças entre doação de sangue do cordão umbilical para um banco público e o armazenamento em bancos familiares e as acreditações/certificações que os bancos de sangue do cordão umbilical devem ter para assegurar o melhor desempenho da sua atividade e permitirem uma maior confiança por parte dos Pais. Para além disso, Parent’s Guide to Cord Blood Foundation analisa os novos desenvolvimentos na investigação médica que podem permitir o alargamento do uso clínico do sangue do cordão … Continuar a ler

Progressos na investigação com células estaminais poderão permitir avanços no tratamento de distrofias musculares

Uma colaboração científica liderada pela parceria entre a Universidade Pierre e Marie Curie e o INSERM (Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale) tem gerado avanços significativos no tratamento de distrofias musculares, centrando a investigação em células estaminais musculares. As distrofias musculares são um grupo de doenças genéticas que conduzem progressivamente à fraqueza muscular e à morte de células do tecido muscular. Investigadores de um projeto financiado pela UE, o projeto ENDOSTEM, estudam terapias com células estaminais cardíacas para reparação e regeneração do tecido muscular. O projeto ENDOSTEM centra-se nas células estaminais musculares cardíacas e respetivos efeitos cardíacos da distrofia muscular, a qual enfraquece o músculo cardíaco, impedindo-o de bombear eficientemente o sangue. Os resultados desta investigação permitem um melhor entendimento das … Continuar a ler

Transplantação de Células Estaminais: Sangue do Cordão Umbilical ou Sangue Periférico Mobilizado/Medula Óssea de dador não relacionado?

Dois estudos recentes sobre transplantação hematopoiética com amostras de dadores não relacionados (i. e., não familiares) demonstram resultados semelhantes entre o uso de sangue do cordão umbilical (SCU) e de sangue periférico mobilizado (SPM)/ medula óssea (MO). Os resultados sugerem que o SCU é uma alternativa viável ao uso de SPM/MO nos transplantes hematopoiéticos para o tratamento de doenças do foro hemato oncológico. Num dos estudos1 foram analisados doentes adultos com linfoma de Hodgkin, linfoma não Hodgkin e leucemia linfocítica crónica que receberam transplante alogénico de dador não relacionado, tendo sido utilizadas células estaminais de SCU ou de SPM, após terem sido submetidos a um regime de quimioterapia de intensidade reduzida. Após transplante de SCU, a recuperação foi mais lenta mas o desenvolvimento de doença … Continuar a ler

O processamento das amostras de sangue do cordão umbilical

No laboratório, o processamento das amostras de sangue do cordão umbilical compreende vários passos, sendo a amostra criopreservada no mesmo dia em que é recebida no laboratório. Depois de verificada toda a documentação necessária, os técnicos processam a amostra no laboratório, começando por pesá-la, para perceber, pela quantidade de sangue colhido, se é possível criopreservá-la com sucesso. Abaixo de um determinado volume de sangue, a amostra não será viável, por não ter quantidade suficiente de células para transplante. A amostra passa, depois, pela separação dos componentes sanguíneos. Desse processo de separação resultam três fracções principais; na mais pequena encontram-se os glóbulos brancos e as células estaminais que importa criopreservar para futura utilização clínica; as restantes são constituídas pelo plasma e pelos glóbulos vermelhos; uma parte … Continuar a ler

Live Chat