Método inovador trata defeitos na coluna vertebral com células estaminais

Foi reportado, pela primeira vez em humanos, o tratamento de lesões vertebrais, utilizando células estaminais do cordão umbilical numa matriz de hidroxiapatite. O artigo, publicado na revista médica International Journal of Surgery Case Reports, relata o tratamento experimental de uma doente de 27 anos, que se apresentou com dor persistente na região lombar, com consequente limitação dos movimentos. Anteriormente, tinha sido diagnosticada com uma forma pouco comum de tuberculose que afeta a coluna vertebral. Se não for tratada, esta doença causa deformações nas vértebras, com graves repercussões no estado da coluna vertebral, saúde e qualidade de vida dos doentes. Apesar de ter sido corretamente medicada, a doente descontinuou a medicação antes do tempo indicado, tendo como consequência o alojamento, na coluna vertebral, da bactéria responsável … Continuar a ler

Células estaminais promovem melhorias em doença pulmonar rara

Oito doentes com fibrose pulmonar idiopática, uma doença rara que afeta os pulmões, melhoraram após tratamento com células estaminais da medula óssea, como demonstra um estudo piloto recentemente publicado na revista científica Stem Cells Translational Medicine. A fibrose pulmonar idiopática manifesta-se geralmente a partir dos 50 anos, predominantemente em indivíduos do sexo masculino. O principal sintoma é a sensação de falta de ar, muitas vezes acompanhada de tosse seca e persistente. É causada pela progressiva transformação do tecido que está entre os alvéolos pulmonares em tecido fibroso, semelhante ao de uma cicatriz, o que dificulta as trocas gasosas nos pulmões. Em média, estes doentes sobrevivem 3 a 5 anos após o diagnóstico, no entanto, a evolução da doença é muito variável, podendo ser de progressão … Continuar a ler

Jovem com queimaduras graves tratado com sucesso usando células estaminais

No Canadá, um jovem de cerca de 25 anos foi tratado com células estaminais, após ter sofrido queimaduras graves em 70% do corpo, durante um incêndio doméstico. O tratamento foi bem‑sucedido, com encerramento completo de todas as feridas. Apesar de há mais de 30 anos se investigar a utilização de células cultivadas em laboratório para o tratamento de queimaduras graves, a utilização de células estaminais neste contexto constitui ainda um desafio e uma área de intensa investigação científica. Atualmente, as células estaminais mesenquimais do cordão umbilical estão a ser estudadas para potencial utilização terapêutica em queimaduras graves. Para além de serem obtidas de forma simples e não invasiva, estas células são facilmente mantidas em cultura em laboratório e, uma vez administradas, têm a capacidade de … Continuar a ler

Ensaio clínico testa células estaminais da gordura em lesões cerebrais

A Hope Biosciences, uma empresa de biotecnologia focada no desenvolvimento de terapias celulares, anunciou recentemente o início do recrutamento para um ensaio clínico de Fase I/II que pretende avaliar a segurança e a eficácia de um produto à base de células estaminais mesenquimais autólogas, derivadas de tecido adiposo (HB-adMSCs), para tratamento de lesão cerebral traumática e encefalopatia hipóxico-isquémica (lesão cerebral causada pela privação de oxigénio no cérebro). Este ensaio clínico será realizado em parceria com o Health Science Center, da Universidade do Texas, Houston, EUA. As células estaminais mesenquimais que serão utilizadas neste ensaio clínico serão isoladas a partir do tecido adiposo (gordura) dos próprios doentes, sendo expandidas (multiplicadas) em laboratório. É expectável que as HB‑adMSCs infundidas na corrente sanguínea consigam controlar a atividade do … Continuar a ler

Pode a nossa gordura ser aproveitada para o tratamento de algumas doenças?

Neste momento, há cerca de 300 ensaios clínicos registados cujo objetivo é testar a utilização do tecido adiposo (gordura) extraído do corpo humano em aplicações de medicina regenerativa. Esta abordagem inovadora tem sido investigada para doenças que, até à data, apresentam estratégias terapêuticas insuficientes, nomeadamente doenças musculoesqueléticas, cardiovasculares e autoimunes. A gordura é recolhida de forma simples e minimamente invasiva, durante um procedimento de lipoaspiração ou lipoescultura, sendo posteriormente processada em laboratório, onde poderá passar por um processo de expansão – ou multiplicação – celular. Depois do processamento laboratorial, é possível criopreservar (congelar a temperaturas muito baixas) o produto obtido, para que possa estar disponível para posterior utilização. Neste tipo de terapia, ainda em contexto experimental, as células do tecido adiposo isoladas são introduzidas no … Continuar a ler

Células estaminais na prevenção de problemas neurológicos resultantes de radioterapia

Um estudo inovador, realizado em Espanha, demonstrou que é possível minimizar as lesões cerebrais provocadas pela radioterapia usando células estaminais mesenquimais do tecido adiposo (gordura). O intuito do estudo agora publicado, realizado em modelo animal, é encontrar uma solução para os doentes com tumores cerebrais que, após realizarem radioterapia para eliminação das células tumorais, acabam por sofrer danos neurológicos irreparáveis. Durante a última década, o desenvolvimento de tratamentos mais eficazes no combate ao cancro tem vindo a aumentar a esperança de vida dos doentes oncológicos. No entanto, estes tratamentos apresentam frequentemente efeitos secundários, que acabam por comprometer a qualidade de vida dos doentes de forma permanente. A radioterapia utilizada para erradicar tumores cerebrais provoca – através de vários mecanismos, entre os quais a inflamação e … Continuar a ler

Células estaminais restauram fertilidade após quimioterapia

Em doentes do sexo feminino, um dos problemas que pode surgir após quimioterapia para tratamento do cancro é a alteração da função ovárica, com consequente perda de fertilidade. A quimioterapia pode causar danos, tanto nos ovócitos – as células que, juntamente com o espermatozoide, dão origem ao embrião – como nas células que os rodeiam e que desempenham um papel fundamental na sua maturação. Este processo pode originar insuficiência ovárica prematura. A ausência de ovulação característica desta doença leva a que estas mulheres se debatam com problemas de infertilidade. Uma metodologia inovadora, baseada na administração de células estaminais mesenquimais do tecido do cordão umbilical (UC-MSC), está a ser desenvolvida no sentido de restaurar a fertilidade em mulheres com insuficiência ovárica prematura. Vários estudos têm demonstrado … Continuar a ler

É possível tratar osteoartrite do joelho com células estaminais?

Vários estudos publicados nos últimos anos demonstram que é possível melhorar os sintomas de osteoartrite (habitualmente designada apenas por artrite) do joelho, através da injeção local de células estaminais mesenquimais (MSC, Mesenchymal Stem Cells). Estima-se que, em todo o mundo, cerca de 10% dos homens e 18% das mulheres com idade superior a 60 anos sofram de osteoartrite. A osteoartrite caracteriza-se pela degeneração da cartilagem, associada a um processo inflamatório, originando sintomas como dor, inchaço e rigidez. Os tratamentos atualmente existentes para melhorar a sintomatologia e atrasar a progressão da doença incluem fármacos anti-inflamatórios e injeções de ácido hialurónico. Têm sido investigadas outras abordagens terapêuticas potencialmente mais eficazes em limitar a degeneração da cartilagem afetada por osteoartrite, e que ao mesmo tempo promovam a sua … Continuar a ler