Células do Cordão Umbilical no tratamento de Artrite Reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune caracterizada por inflamação crónica e degeneração do osso e cartilagem das articulações, provocando edema (inchaço), dor e rigidez. Atinge três vezes mais mulheres do que homens e estima-se que afete cerca de 50 mil portugueses. Os fármacos atualmente utilizados nem sempre são eficazes no controlo da doença, pelo que é necessário encontrar outras soluções para estes doentes. Embora as causas da artrite reumatoide não estejam ainda totalmente esclarecidas, pensa-se que um dos fatores que mais contribui para esta patologia é a desregulação do sistema imunitário.

Células Estaminais Mesenquimais reequilibram sistema imunitário

As células estaminais mesenquimais (MSC), presentes na medula óssea, cordão umbilical, entre outros tecidos, possuem capacidades imunomoduladoras que podem ser aproveitadas para o tratamento de várias doenças que têm por base um desequilíbrio do sistema imunitário. Um estudo recentemente divulgado pretendeu avaliar a capacidade das MSC do tecido do cordão umbilical (UC-MSC) para tratar artrite reumatoide. Para isso, os investigadores estabeleceram um modelo animal de artrite reumatoide, tendo seguidamente, dividido os animais em três grupos: um grupo tratado com UC-MSC; outro com metotrexato (MTX, medicamento comummente usado para tratar artrite reumatoide); e outro grupo que recebeu apenas solução salina (placebo). Nos animais tratados com UC-MSC ou MTX, observaram-se melhorias significativas ao nível do edema, osteoporose e infiltração de células inflamatórias no líquido sinovial (líquido existente nas articulações). Observou-se também que os animais tratados com UC-MSC ou MTX evidenciaram menos alterações estruturais da articulação características da artrite reumatoide, comparativamente aos animais do grupo placebo.

Os investigadores tentaram, de seguida, compreender quais os mecanismos subjacentes as estas melhorias e descobriram que o tratamento com UC-MSC ou com MTX era capaz de melhorar o desequilíbrio imunológico presente nos animais doentes. O estudo demonstrou que, através de vários mecanismos, as UC-MSC promovem a libertação de moléculas anti-inflamatórias, ao mesmo tempo que inibem a libertação de moléculas pró-inflamatórias, diminuindo assim a progressão das lesões articulares características da artrite reumatoide.

Em suma, as células mesenquimais do tecido do cordão umbilical demonstraram efeitos benéficos na prevenção da inflamação e progressão da artrite reumatoide, semelhantes aos obtidos com MTX, o que pode ter implicações importantes para os doentes que não respondem a este fármaco ou para os quais o mesmo está contraindicado.

 

Referências:

Ma D, et al. Immunomodulatory effect of human umbilical cord mesenchymal stem cells on T lymphocytes in rheumatoid arthritis. Int Immunopharmacol. 2019 Jul 8;74:105687.

http://www.ipr.pt/index.aspx, acedido a 18 de Julho de 2019.