Doentes com Lúpus melhoram após tratamento com células estaminais

O Lúpus Eritematoso Sistémico (LES) é uma das doenças autoimunes com maior prevalência e caracteriza-se pela produção de anticorpos contra o próprio organismo. Vários órgãos, por exemplo os rins, pulmões e o sistema nervoso, podem ser afetados pela doença, originando sintomas como fadiga, febre e dores nas articulações. Em Portugal, afeta cerca de 0,07% da população, sobretudo feminina, com impacto significativo na sua qualidade de vida.

O LES é uma doença crónica, geralmente controlada utilizando fármacos imunossupressores e corticosteroides. No entanto, o tratamento convencional revela-se insuficiente em mais de 30% dos doentes, que acabam por sofrer recaídas ou não responder ao tratamento. De acordo com vários estudos publicados nos últimos anos, uma nova opção terapêutica baseada em células estaminais mesenquimais poderá vir a ficar disponível para estes doentes. Estas células têm a capacidade de regular o sistema imunitário, podendo ser obtidas, por exemplo, a partir de medula óssea ou tecido do cordão umbilical.

Potencial tratamento para Lúpus com células estaminais mesenquimais

Em Espanha, investigadores da Universidade de Valladolid administraram células estaminais mesenquimais da medula óssea a três doentes, diagnosticados com LES há mais de 15 anos, que apresentavam dificuldade em controlar a doença recorrendo à terapêutica convencional. O tratamento com células estaminais decorreu sem efeitos adversos associados e, após um mês, o estado de saúde dos três doentes tinha melhorado consideravelmente. Nove meses depois, dois doentes encontravam-se em remissão completa (doença totalmente inativa) e o terceiro em remissão parcial, com a doença ainda ligeiramente ativa. Estas melhorias permitiram, ainda, diminuir entre 50-90% a dose de medicação utilizada por estes doentes para controlar a doença.

Tendo em conta os resultados positivos obtidos, nomeadamente ao nível da segurança, os investigadores pretendem agora avançar com um ensaio clínico, recentemente aprovado pela entidade competente espanhola, para avaliar a eficácia deste tratamento num maior número de doentes.

Referências:

Barbado J, Tabera S, Sánchez A, García-Sancho J. Therapeutic potencial of allogeneic mesenchymal stromal cells transplantation for lupus nephritis. Lupus. 2018 Nov;27(13):2161-2165.

http://www.spreumatologia.pt/doencas/lupus-eritematoso-sistemico