Ensaio clínico com células mesenquimais em doentes com diabetes tipo 2

Os resultados preliminares de um ensaio clinico de fase 1/2 para avaliar os efeitos da infusão de células percursoras mesenquimais em doentes com diabetes tipo 2 foram recentemente apresentados no 74º congresso anual da Associação Americana de Diabetes (o maior congresso de diabetes em todo o mundo).

A diabetes caracteriza-se pelo aumento anormal dos níveis de açúcar (glucose) no sangue. A diabetes tipo 2 é o tipo mais frequente de diabetes, tendo uma elevada incidência. Estima-se que, em Portugal, 1 em cada 10 indivíduos tem diabetes tipo 2. Este tipo de diabetes  é mais frequente em adultos, estando associado com um estilo de vida mais sedentário, erros alimentares e excesso de peso. Na diabetes tipo 2 o pâncreas produz insulina (a hormona que regula os níveis de açúcar no sangue), mas o organismo torna-se resistente a essa insulina, que deixa de fazer efeito.

Uma empresa americana de biotectnologia, a Mesoblast, desenvolveu um ensaio clinico, em colaboração com 18 centros clínicos dos EUA, para avaliar o efeito de uma injecção intravenosa de células percursoras mesenquimais. Foram recrutados 61 doentes com diabetes tipo 2, aos quais foram infundidas células percursoras mesenquimais ou um placebo (solução sem células).

Os autores do ensaio clinico apresentaram os resultados obtidos ao longo das primeiras 12 semanas após a infusão. No período do estudo não foram observados quaisquer efeitos adversos da infusão de células, indicando que o procedimento é seguro. Verificaram, ainda, que os níveis de várias moléculas normalmente mais elevadas nos doentes com diabetes tipo 2, estavam reduzidos nos doentes que fizeram a infusão com as células percursoras mesenquimais quando comparados com os doentes que receberam placebo, demonstrando que as células percursoras mesenquimais induziram uma melhoria no controlo da glicémia dos doentes envolvidos no estudo.

Estes resultados preliminares são muito positivos sugerindo que a infusão de células percursoras mesenquimais pode ser uma abordagem válida para o tratamento da diabetes tipo 2, que deve continuar a ser explorada. Apesar destes resultados indicarem que a infusão destas células poderá permitir o controlo dos níveis de glucose em doentes com diabetes tipo 2, será necessário aguardar pelo fim do ensaio clinico para avaliar se esses efeitos se mantêm e se estas células também exercem algum efeito positivo nas complicações associadas à doença.

Fonte: Wall Street Journal