Ensaio clínico estuda o potencial das células estaminais para tratamento de lesões do joelho

A osteoartrite (ou artrose) do joelho é uma das condições degenerativas do joelho mais comuns, afetando 3 a 4 % da população global e é, em muitos casos, responsável pelo absentismo e qualidade de vida diminuída. O recurso à cirurgia de substituição do joelho permite recuperar mobilidade, no entanto, como as próteses têm uma duração limitada, obrigam muitas vezes a adiar a intervenção.

Nos EUA, são realizadas anualmente cerca de 700 000 cirurgias de substituição do joelho. Com o objectivo de evitar ou adiar o recurso a esta cirurgia, foi iniciado um ensaio clínico para avaliar o potencial de células estaminais da medula óssea no tratamento de lesões do joelho. Este Ensaio Clínico pretende utilizar um procedimento desenvolvido por uma empresa de biotecnologia (o Regenexx SD) que permite a obtenção de células estaminais mesenquimais da medula óssea do próprio doente. Estas células estaminais são depois injetadas no local da lesão. Os responsáveis pelo ensaio estão neste momento a recrutar doentes, e têm como objetivo comparar a terapêutica com células estaminais com os tratamentos tradicionais para condições degenerativas do joelho.

O estudo, que irá decorrer nos EUA, irá incluir 50 doentes entre os 18 e 70 anos com lesões, artrite e outras condições degenerativas do joelho. 25 doentes serão tratados através do procedimento Regenexx SD e 25 com fisioterapia. Os doentes serão acompanhados durante dois anos e, no final do ensaio, serão comparados com registos de doentes que realizaram cirurgia de substituição do joelho.

Os responsáveis do estudo esperam conseguir demonstrar que este novo tratamento com células estaminais do próprio doente é eficaz quando comparado com fisioterapia ou cirurgia do joelho e, acreditam que esta terapêutica possa no futuro tornar-se no tratamento convencional para tratar lesões ortopédicas.

Mais informações em: http://qconline.com/archives/qco/display.php?id=688108