Ensaio clinico investiga a aplicação de células percursoras mesenquimais para regeneração de discos intervertebrais e apresenta resultados preliminares promissores

Foram recentemente apresentados os resultados preliminares de um ensaio clinico com células mesenquimais percursoras para tratar doentes com lombalgia crónica associada a doença discal degenerativa.
A lombalgia (dor nas costas) é uma das principais queixas apresentadas em consultas médicas em todo o mundo. São várias as causas para esta condição, mas um diagnóstico comum é a degeneração dos discos intervertebrais. Os tratamentos mais frequentes incluem fisioterapia e medicação, mas em casos mais graves a única alternativa é a cirurgia.

A empresa Norte Americana Mesoblast, com foco na área da medicina regenerativa, desenvolveu um produto a partir de células percursoras mesenquimais alogénicas (MPCs) que demonstrou, em estudos pré-clínicos, ser capaz de reparar a estrutura dos discos intervertebrais.
Com base nesses estudos, foi iniciado há um ano um ensaio clinico de fase 2 com o objectivo de testar o efeito de uma injecção local com MPCs, em doentes com lombalgia crónica há mais de 6 meses e causada por doença discal degenerativa em fase inicial.
O estudo envolveu 100 doentes organizados em 4 grupos: 2 grupos controlo em que os doentes não receberam células (20 doentes receberam uma solução salina e 20 doentes receberam ácido hialurónico) e 2 grupos que receberam MPCs em concentrações diferentes (30 doentes receberam 6 milhões de MPCs em ácido hialurónico e 30 doentes receberam 18 milhões de MPCs em ácido hialurónico). O ensaio terá a duração total de 36 meses, no entanto a empresa apresentou recentemente os resultados preliminares, observados ao fim dos primeiros 12 meses.

Verificaram que, nos 12 primeiros meses, uma só injecção de MPCs nos discos intervertebrais degenerados reduziu a dor e necessidade de analgésicos, e amentou a mobilidade dos doentes e a estabilidade dos discos. O tratamento não apresentou efeitos adversos nestes período sendo bem tolerado pelos doentes.
Estes resultados são promissores, no entanto aguardam-se dados a longo prazo deste ensaio clinico, e a realização de outras investigações que comprovem a eficácia deste tratamento.

Fonte: http://globenewswire.com/news-release/2014/01/29/605763/10066149/en/POSITIVE-SPINAL-DISC-REPAIR-TRIAL-RESULTS-USING-MESOBLAST-ADULT-STEM-CELLS.html