Ensaio clínico testa células estaminais da gordura em lesões cerebrais

A Hope Biosciences, uma empresa de biotecnologia focada no desenvolvimento de terapias celulares, anunciou recentemente o início do recrutamento para um ensaio clínico de Fase I/II que pretende avaliar a segurança e a eficácia de um produto à base de células estaminais mesenquimais autólogas, derivadas de tecido adiposo (HB-adMSCs), para tratamento de lesão cerebral traumática e encefalopatia hipóxico-isquémica (lesão cerebral causada pela privação de oxigénio no cérebro). Este ensaio clínico será realizado em parceria com o Health Science Center, da Universidade do Texas, Houston, EUA.

As células estaminais mesenquimais que serão utilizadas neste ensaio clínico serão isoladas a partir do tecido adiposo (gordura) dos próprios doentes, sendo expandidas (multiplicadas) em laboratório. É expectável que as HB‑adMSCs infundidas na corrente sanguínea consigam controlar a atividade do sistema imunitário a nível cerebral, reduzindo a neuro-inflamação associada a lesões neurológicas subagudas e crónicas.

Este estudo tem como objetivo determinar a segurança e a eficácia da infusão de HB-adMSC na estrutura cerebral, avaliadas por técnicas de imagem avançadas em regiões específicas do cérebro que se correlacionam com défices neurocognitivos específicos em adultos que tenham sofrido uma lesão neurológica.

 

Nova terapia pretende reduzir o processo neuro-inflamatório associado às lesões cerebrais

Este ensaio clínico de Fase I/II é um estudo não randomizado de braço único, que pretende incluir 24 participantes. As HB‑adMSCs serão administradas em três infusões intravenosas, durante um período de seis semanas e as avaliações de acompanhamento serão feitas aos seis e doze meses pós-infusão. Os investigadores que conduzem este ensaio clínico esperam uma diminuição na perda de células neuronais e melhorias a nível neurocognitivo, com progressos na resposta verbal, na função motora e na memória, que se correlacionam com alterações físicas no cérebro.

Atualmente, não há tratamentos eficazes para lesões cerebrais traumáticas crónicas. Foi já demonstrado que a neuro-inflamação crónica decorrente de lesão neurológica pode persistir até 13 anos após lesão cerebral traumática e está associada à perda progressiva de substância branca do cérebro. Com este ensaio clínico a Hope Biosciences pretende desenvolver um tratamento eficaz para esta condição e determinar se esta estratégia baseada em terapia celular consegue combater a neuroinflamação associada à lesão cerebral.

 

Referências:

https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT04063215

https://www.biospace.com/article/releases/hope-biosciences-opens-first-phase-i-ii-stem-cell-trial-for-brain-injury-treatment/