Crioestaminal inicia projeto que visa demonstrar a capacidade de fabrico de medicamentos de terapia celular a partir de células mesenquimais

A Crioestaminal, primeiro banco de células estaminais do cordão umbilical em Portugal, em parceria com o Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra (CNC), o Instituto Superior Técnico (IST) e o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), acaba de lançar o projeto MSCellProduction, que visa demonstrar a capacidade de fabrico de medicamentos de terapia celular a partir de células mesenquimais do tecido do cordão umbilical e do tecido adiposo.

Ao longo dos próximos dois anos, as entidades envolvidas no projeto pretendem demonstrar que as células produzidas a partir da metodologia de expansão desenvolvida têm potencial para poderem ser usadas no tratamento de doenças autoimunes, como lúpus e esclerose múltipla.

“Este projeto vem reforçar o compromisso da Crioestaminal com a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, com uma componente competitiva e de valorização económica das tecnologias aqui desenvolvidas muito relevante”, refere André Gomes, Diretor Geral da Crioestaminal.
E acrescenta: “O desenvolvimento desta metodologia de expansão de células mesenquimais do tecido do cordão umbilical e do tecido adiposo permitirá a obtenção de células em quantidade e qualidade clinicamente exigidas para aplicação em doentes”.

A acrescentar à atividade de armazenamento de células estaminais, a produção de terapias celulares prontas a ser aplicadas em doentes, quer em ensaios clínicos quer em terapêuticas aprovadas, e juntamente com outro projeto também em curso – o projeto StrokeTherapy, Plataformas terapêuticas para acidentes vasculares cerebrais – a Crioestaminal demonstra a sua capacidade de progressão na cadeia de valor.

Financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE 2020), o Projeto MSCellProduction – Produção de Células Estaminais Mesenquimais em conformidade com os requisitos de Boas Práticas de Fabrico (N.U.P. POCI-01-0247-FEDER-038313) representa um investimento elegível total previsto de 547.571,40 EUR, com uma comparticipação do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) de 327.435,34 EUR.