Novo método para a expansão de sangue do cordão umbilical

Desde 1988 (data do primeiro transplante com  sangue do cordão umbilical) foram já realizados mais de 30 000 transplantes utilizando esta fonte de células estaminais. O sucesso destes transplantes está dependente do número de células estaminais que são transplantadas. Para permitir aumentar o número de células disponíveis para transplantar, e até, para poder usar apenas uma parte da amostra de células estaminais de sangue do cordão umbilical armazenada, vários grupos se têm dedicado ao desenvolvimento de técnicas que permitam expandir (aumentar) o número de células.

Neste contexto, foi recentemente publicado um artigo que descreve uma nova metedologia que permite a expansão das células estaminais do sangue do cordão umbilical. Este artigo descreve o trabalho desenvolvido por um grupo de investigadores canadianos,  que estudou o potencial de vários compostos para promover a expansão das células estaminais de sangue do cordão. Ao fim de 5 anos de trabalho obtiveram uma molécula, designada UM171, com uma elevada capacidade para promover a expansão das células estaminais do sangue do cordão umbilical. Os autores demonstraram ainda que, quando transplantadas, as células expandidas utilizando UM171, foram capazes de reconstituir o sistema hematopoiético (sistema sanguineo) de ratinhos imunocomprometidos (com sistema imunitário disfuncional) durante pelo menos 6 meses.

Os autores concluem que a molécula UM171 poderá ser util na área da transplantação de células estaminais hematopiéticas, pois aumentará o número de amostras de SCU disponíveis, uma vez que aumenta a probabilidade de um doente poder ser transplantado com uma amostra com número de células adequado. Para além disso, amostras com maior número de células permitiriam menos complicações e mais rápida recuperação após o transplante.

 

Fonte: http://www.labcanada.com/news/new-compound-developed-for-cord-blood-expansion/1003267106/?&er=NA

http://www.sciencemag.org/content/345/6203/1509.full