Terapia com células estaminais com potencial para ajudar a tratar a doença de Parkinson

A doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum, estimando-se que afete 180 por cada 100.000 habitantes em Portugal. Surge geralmente entre os 50 e os 80 anos de idade e caracteriza-se pela morte de neurónios de uma região do cérebro designada substantia nigra. Os sintomas, que incluem tremores, rigidez, lentidão, desequilíbrio e distúrbios do sono, conduzem progressivamente à perda da qualidade de vida dos doentes. A medicação atualmente utilizada para tratar esta doença neurodegenerativa crónica destina-se essencialmente ao alívio dos sintomas, não permitindo travar a progressão da doença. Com o intuito de impedir a morte de neurónios e, consequentemente, a progressão da doença, têm vindo a ser investigadas outras soluções terapêuticas, nomeadamente o uso de células estaminais mesenquimais, pela sua capacidade de … Continuar a ler

Potencial do Sangue do Cordão Umbilical no tratamento de Esclerose Lateral Amiotrófica

A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa muito grave causada pela degeneração progressiva dos neurónios que transmitem os sinais necessários à contração muscular (neurónios motores). Os doentes com ELA, à medida que a neurodegeneração avança, vão perdendo força muscular e eventualmente deixam de conseguir manter as suas funções vitais. A insuficiência respiratória é a principal causa de morte nestes doentes, que têm uma esperança média de vida de apenas 3 a 5 anos após o início do desenvolvimento da doença. As causas que levam ao aparecimento de ELA, que afeta 450.000 indivíduos em todo o mundo, são ainda desconhecidas, devido à complexidade de fatores que estão na base do desenvolvimento da doença. Apesar de numerosos compostos terem já sido testados em ensaios clínicos, … Continuar a ler