Tratamento inovador à base de vesículas de células estaminais para lesões da espinal medula

Devido à limitada capacidade de regeneração do sistema nervoso central, as lesões na espinal medula podem ter consequências devastadoras, como paralisação e perda de sensação no corpo abaixo do local da lesão. Estima-se que mais de 27 milhões de doentes se encontrem, neste momento, a enfrentar as consequências decorrentes de uma lesão na espinal medula. Para além das limitações físicas, outras dimensões, como o estado psicológico, a vida social, familiar e profissional, são também afetadas. Inúmeros ensaios clínicos têm vindo a estudar a possibilidade de tratar estas lesões utilizando células estaminais. Um estudo em modelo animal, recentemente publicado, descreve uma estratégia inovadora para o tratamento de lesões na espinal medula, utilizando vesículas libertadas por células estaminais da placenta, aplicadas num gel de ácido hialurónico. Os … Continuar a ler

Ensaio clínico em doentes com incapacidade motora após traumatismo crânio-encefálico – recrutado primeiro doente

Foi recentemente anunciado o recrutamento do primeiro doente para um ensaio clínico destinado a doentes com traumatismo crânio-encefálico (TCE). O ensaio clínico tem como objetivo estudar a segurança e eficácia de uma terapia com células mesenquimais alogénicas modificadas geneticamente no tratamento de doentes com incapacidade motora crónica na sequência de um TCE. Anualmente milhares de indivíduos em todo o mundo sofrem um TCE em consequência de uma queda, um acidente de viação, ferimento com armas, lesões desportivas, entre outros. Muitos destes TCE originam lesões cerebrais graves, causando danos quer a nível cognitivo quer a nível motor, resultando, neste último caso, em incapacidade motora permanente. Apesar das causas dos TCE e dos acidentes vasculares cerebrais (AVC) serem diferentes, as manifestações clínicas são semelhantes, nomeadamente, ambos podem … Continuar a ler