Expansão de sangue do cordão umbilical diminui risco de infeção e tempo de hospitalização após transplante

O sangue do cordão umbilical é, atualmente, utilizado para o tratamento de várias patologias, nomeadamente doenças hemato-oncológicas, metabólicas, imunodeficiências, entre outras; constitui uma fonte de células estaminais alternativa à medula óssea com enorme potencial e permite aumentar o número de doentes que podem beneficiar de um transplante hematopoiético. A facilidade de colheita, a disponibilidade imediata para transplante e a presença de várias populações de células estaminais imaturas são algumas das características que tornam a utilização do sangue do cordão umbilical vantajosa no contexto da transplantação hematopoiética. Ainda assim, em determinadas circunstâncias, o número de células a transplantar torna-se uma limitação, principalmente em adultos de maior peso corporal. Nestes casos, o ideal é conseguir aumentar o número de células da unidade selecionada, antes do transplante. Para … Continuar a ler