Estudo suporta potencial de células do cordão umbilical na regeneração cardíaca

As doenças cardiovasculares constituem a principal causa de morte em Portugal e no mundo. Para além da prevenção, através da adoção de um estilo de vida saudável e alimentação cuidada, é importante dispor de opções terapêuticas eficazes para o seu tratamento. O recurso a terapias celulares tem sido alvo de intensa investigação científica, como solução capaz de complementar os métodos de tratamento atualmente disponíveis. As células da medula óssea têm sido amplamente testadas em contexto de doença cardíaca, resultando em melhorias na capacidade de bombeamento do coração, diminuição da zona de enfarte, entre outras. Também as células estaminais do tecido do cordão umbilical demonstraram já resultados promissores neste contexto, nomeadamente pela sua capacidade para diminuir a inflamação e estimular a formação de novos vasos sanguíneos. … Continuar a ler