Células estaminais estimulam função ovárica em mulheres com insuficiência ovárica prematura

A insuficiência ovárica prematura caracteriza-se pela perda de atividade dos ovários em mulheres com menos de 40 anos, ausência de menstruação e baixos níveis de estrogénio no sangue. Afeta entre 1-3% desta população feminina e representa uma causa de infertilidade. Adicionalmente, as mulheres com insuficiência ovárica prematura apresentam risco acrescido de osteoporose e doença cardiovascular, devido à exposição a baixos níveis de estrogénios, questão habitualmente contornada através de terapia hormonal de substituição. Contudo, esta terapêutica não permite recuperar a fertilidade, pelo que é importante desenvolver estratégias nesse sentido. Uma das técnicas em estudo para restaurar a atividade ovárica e a fertilidade nestas mulheres é a utilização de células estaminais mesenquimais, com resultados promissores. Vários estudos pré-clínicos indicam que as células estaminais mesenquimais apresentam várias propriedades … Continuar a ler