Transplante de células estaminais do tecido do cordão umbilical em doentes com dor lombar crónica

A dor lombar crónica é uma das principais causas de incapacidade física tendo por isso um grande impacto socioeconómico. A degeneração do disco intervertebral é a principal causa de dores lombares crónicas. A terapêutica da dor lombar crónica provocada pela degeneração do disco intervertebral tem sido tradicionalmente limitada a tratamentos conservadores, que incluem o recurso a analgésicos e fisioterapia, ou à cirurgia, a qual é normalmente considerada quando os tratamentos conservadores se revelam ineficazes.

As terapêuticas atualmente disponíveis tratam os sintomas mas não as alterações do disco intervertebral, não resolvendo o problema subjacente. Uma potencial estratégia terapêutica para restaurar a função biológica normal do disco poderá ser o aumento da população celular do mesmo. Devido ao potencial proliferativo e à capacidade de multi‑diferenciação, as células estaminais mesenquimais (MSC) adultas constituem uma opção atrativa para o tratamento da degeneração do disco intervertebral.

Foi recentemente publicado um estudo em que foi testado o potencial de células mesenquimais do tecido do cordão umbilical (UC‑MSC) na capacidade de regenerar discos intervertebrais. Com base em resultados de experiências anteriores, foi realizado este estudo preliminar para avaliar a viabilidade e segurança deste tratamento e permitir obter uma indicação quanto ao valor terapêutico do transplante de UC-MSC em dois doentes com dor lombar crónica devida a degeneração do disco intervertebral. Neste estudo, estes dois doentes foram submetidos ao transplante de UC-MSC, tendo sido avaliadas a dor e a função lombar ao longo de 2 anos após o procedimento.

O presente estudo mostrou que o transplante de UC-MSC é viável e seguro. O transplante de UC‑MSC provocou uma melhoria notável da dor que foi acompanhada por uma melhoria na função lombar, nos dois doentes, imediatamente após o transplante e durante o período de seguimento de 2 anos. Os mecanismos responsáveis pelos efeitos observados estão ainda por esclarecer, mas as UC‑MSC podem atuar através do alívio da dor e da redução da inflamação, podendo ainda induzir alterações na composição do disco, reestruturando-o.

Apesar de se tratar de um estudo preliminar, com apenas dois doentes, os resultados clínicos indicam que o transplante de UC‑MSC parece constituir um método alternativo favorável para o tratamento da dor lombar crónica devida a degeneração do disco intervertebral. No entanto, serão necessários mais estudos, com uma amostra de maior dimensão e um tempo de seguimento mais longo, para que este procedimento possa vir a constituir uma opção de tratamento viável para este tipo de patologia.

 

Referência:

Human umbilical cord mesenchymal stem cell transplantation for the treatment of chronic discogenic low back pain. Pang X, Yang H, Peng B. Pain Physician. 2014 Jul-Aug;17(4):E525-30.