Células do Cordão Umbilical no tratamento de Artrite Reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença autoimune caracterizada por inflamação crónica e degeneração do osso e cartilagem das articulações, provocando edema (inchaço), dor e rigidez. Atinge três vezes mais mulheres do que homens e estima-se que afete cerca de 50 mil portugueses. Os fármacos atualmente utilizados nem sempre são eficazes no controlo da doença, pelo que é necessário encontrar outras soluções para estes doentes. Embora as causas da artrite reumatoide não estejam ainda totalmente esclarecidas, pensa-se que um dos fatores que mais contribui para esta patologia é a desregulação do sistema imunitário. Células Estaminais Mesenquimais reequilibram sistema imunitário As células estaminais mesenquimais (MSC), presentes na medula óssea, cordão umbilical, entre outros tecidos, possuem capacidades imunomoduladoras que podem ser aproveitadas para o tratamento de várias doenças … Continuar a ler

Células estaminais mesenquimais – propriedades e potencial terapêutico

Atualmente, centenas de ensaios clínicos estão a investigar a aplicação terapêutica das células estaminais mesenquimais (MSC, de Mesenchymal Stem Cells) em várias doenças graves, devido ao enorme potencial terapêutico que estas células têm demonstrado em estudos pré-clínicos. As duas principais fontes de MSC são o tecido do cordão umbilical e a medula óssea, podendo também ser obtidas a partir de sangue do cordão umbilical e de tecido adiposo. O potencial terapêutico das MSC reside nas suas propriedades As MSC possuem propriedades com notável potencial terapêutico, designadamente: – capacidade de proliferação in vitro, podendo ser multiplicadas em laboratório para posterior utilização clínica; – multipotência: o facto de se poderem diferenciar em vários tipos de células (da cartilagem, osso e gordura, entre outras) está a ser explorado … Continuar a ler

Infusão de células do cordão umbilical no tratamento de artrite reumatoide

A artrite reumatoide é uma doença crónica, autoimune em que o sistema imunitário (que naturalmente protege o organismo contra ataques de “substâncias estranhas”, como vírus e bactérias) ataca de forma anormal as articulações. Este ataque desencadeia um processo inflamatório, causando dor, inchaço, dano articular e incapacidade. O tratamento convencional da artrite reumatoide inclui abordagens farmacológicas e não farmacológicas (exercício físico, dieta, fisioterapia). As terapêuticas farmacológicas compreendem várias classes de medicamentos: anti-inflamatórios não-esteroides, fármacos modificadores da doença biológicos e não biológicos, imunossupressores e corticosteroides. Estes tratamentos têm contribuído para uma melhoria dos sintomas, no entanto, são poucos os doentes que não evidenciam sinais da doença sem a utilização destes fármacos. Para além disso, são tratamentos dispendiosos e que, em alguns casos, causam efeitos secundários severos. Por … Continuar a ler