• AS CÉLULAS ESTAMINAIS SALVAM MAIS UMA VIDA
    COM TRATAMENTO INOVADOR EM PORTUGAL

    Criança de 4 anos com anemia aplástica grave tratada
    com o seu próprio sangue do cordão umbilical

  • Primeiro e maior banco
    de criopreservação em Portugal

    E também o único laboratório acreditado pela Associação Americana de Bancos
    de Sangue(AABB), garantindo a maior qualidade no processamento das células
    estaminais e uma maior segurança que poderão ser usadas
    em todas as geografias.

  • Mais de 400.000 famílias já nos
    confiaram as suas células estaminais

    Conheça os momentos marcantes dos 16 anos de experiência
    e qualidade da Crioestaminal.

  • Conheça os casos de utilização de
    células estaminais da crioestaminal

    A Crioestaminal já contribuiu para 18 transplantes em 13 crianças,
    sendo o banco com mais experiência neste âmbito em Portugal.

O cordão umbilical

Conheça esta fonte rica em células estaminais e as suas propriedades.

Saber mais

Guardar ou Doar

O único Banco Familiar e de Investigação em Portugal.

Saber mais

Casos de sucesso

Conheça alguns dos transplantes realizados, em Portugal e no Mundo, a partir de células estaminais do cordão umbilical.

Saber mais

Crioestaminal

Um banco único em Portugal


  • Experiência

    O primeiro Banco Familiar em Portugal e que conta com mais de 400.000 amostras de células estaminais criopreservadas.


  • Rigor

    Único laboratório em Portugal com uma acreditação internacional, o que lhe
    garante a maior qualidade e segurança ao longo dos 25 anos de criopreservação.


  • Investigação

    Único banco de doação para investigação e desenvolvimento.


  • Crioestaminal a escolha dos consumidores portugueses

    A Crioestaminal, vence prémio Escolha do Consumidor, pelo sexto ano consecutivo, na categoria de criopreservação.

Soluções à medida da sua família

Conheça as nossas soluções de criopreservação do sangue e do tecido do cordão umbilical e encontre a opção ideal para a sua família.Ver Soluções e Preços

Um momento decisivo

O parto é o único momento em que pode ser feita a criopreservação de células estaminais do cordão. Se optar por não guardar as células estaminais do cordão umbilical, este será descartado no hospital e as células serão perdidas.

 

 

Saber mais

investigação crioestaminal

  • 4 patentes registadas sendo a primeira empresa nacional a deter patentes para tratamentos com base em células estaminais.
  • Investimento superior a 2 milhões de euros em investigação no setor.
  • Parcerias com instituições de vanguarda do setor científico nacional.

    Notícias

    Ver mais

    Criança portuguesa com anemia aplástica grave tratada com transplante autólogo de Sangue do Cordão Umbilical

    O Henrique, uma criança portuguesa, com 4 anos de idade, encontra-se em remissão de anemia aplástica grave após transplante autólogo com células estaminais provenientes de sangue do cordão umbilical. O tratamento foi realizado no dia 5 de abril deste ano, na Unidade de Transplante de Medula do Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil (IPO).

    Previamente à transplantação, o Henrique que se encontrava hospitalizado no Hospital Pediátrico Dona Estefânia foi transferido para o IPO e submetido a quimioterapia e outros tratamentos. Após a infusão das células estaminais do sangue do cordão umbilical verificou-se uma rápida recuperação das contagens de glóbulos brancos e de outros parâmetros da recuperação hematológica. O Henrique recebeu alta hospitalar um mês após o transplante. Estando sob vigilância da equipa médica, a criança tem apresentado uma evolução positiva ao longo dos últimos meses.

    A equipa médica do Hospital Pediátrico Dona Estefânia está muito satisfeita com a evolução clínica do Henrique e considera muito gratificante o resultado da opção terapêutica que decidiram para este caso clínico.

    Esta amostra, utilizada para o tratamento da anemia aplástica grave, torna-se, assim, a 10ª amostra libertada para transplante pela Crioestaminal de uma criança portuguesa. A Dr.ª Alexandra Machado, Diretora Médica da Crioestaminal, recorda que “a Crioestaminal é o laboratório português com mais experiência na libertação de amostras de sangue do cordão umbilical para o tratamento de várias doenças, tratadas no IPO do Porto, no IPO de Lisboa, no Hospital Universitário de Duke, nos EUA, e no Hospital San Rafael em Madrid”.

    A anemia aplástica é uma doença rara e grave que ocorre quando a medula óssea deixa de produzir células sanguíneas suficientes, provocando anemia, hemorragias e infeções. A incidência é de 2-7 casos/milhão de pessoas/ano. A doença é rara durante o primeiro ano de vida, mas com uma incidência progressiva até aos 20 anos. Os especialistas acreditam que a anemia aplástica surge quando o sistema imunitário ataca e destrói as células estaminais da medula óssea necessárias para a renovação das células sanguíneas. A produção de células sanguíneas pode ser recuperada por terapêutica imunossupressora e nos casos mais graves com recurso a transplante de células estaminais hematopoiéticas, nomeadamente do sangue do cordão umbilical.

     

    Crioestaminal inicia projeto que visa demonstrar a capacidade de fabrico de medicamentos de terapia celular a partir de células mesenquimais

    A Crioestaminal, primeiro banco de células estaminais do cordão umbilical em Portugal, em parceria com o Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra (CNC), o Instituto Superior Técnico (IST) e o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), acaba de lançar o projeto MSCellProduction, que visa demonstrar a capacidade de fabrico de medicamentos de terapia celular a partir de células mesenquimais do tecido do cordão umbilical e do tecido adiposo.

    Ao longo dos próximos dois anos, as entidades envolvidas no projeto pretendem demonstrar que as células produzidas a partir da metodologia de expansão desenvolvida têm potencial para poderem ser usadas no tratamento de doenças autoimunes, como lúpus e esclerose múltipla.

    “Este projeto vem reforçar o compromisso da Crioestaminal com a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação, com uma componente competitiva e de valorização económica das tecnologias aqui desenvolvidas muito relevante”, refere André Gomes, Diretor Geral da Crioestaminal.
    E acrescenta: “O desenvolvimento desta metodologia de expansão de células mesenquimais do tecido do cordão umbilical e do tecido adiposo permitirá a obtenção de células em quantidade e qualidade clinicamente exigidas para aplicação em doentes”.

    A acrescentar à atividade de armazenamento de células estaminais, a produção de terapias celulares prontas a ser aplicadas em doentes, quer em ensaios clínicos quer em terapêuticas aprovadas, e juntamente com outro projeto também em curso – o projeto StrokeTherapy, Plataformas terapêuticas para acidentes vasculares cerebrais – a Crioestaminal demonstra a sua capacidade de progressão na cadeia de valor.

    Financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE 2020), o Projeto MSCellProduction – Produção de Células Estaminais Mesenquimais em conformidade com os requisitos de Boas Práticas de Fabrico (N.U.P. POCI-01-0247-FEDER-038313) representa um investimento elegível total previsto de 547.571,40 EUR, com uma comparticipação do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) de 327.435,34 EUR.

     

    1ª Edição do Prémio Investigação em Medicina Regenerativa no valor de 2 mil euros

    Estão abertas as candidaturas à 1ª Edição do Prémio “Investigação em Medicina Regenerativa”, um prémio criado pela Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular (SPCE-TC) e pela Crioestaminal, primeiro banco de criopreservação em Portugal, que visa a promoção da investigação na área da Medicina Regenerativa.

    O prémio visa distinguir a melhor publicação de índole básica ou aplicada na área da Medicina Regenerativa, da autoria de investigadores nacionais ou estrangeiros, total ou parcialmente realizada em instituições portuguesas e publicada no biénio anterior à sua atribuição. O prémio contempla um valor pecuniário de 2 000 euros e a inscrição no Congresso da SPCE-TC a decorrer no ano de candidatura.

    Os interessados deverão submeter os seus trabalhos até ao dia 19 de julho de 2019, através do correio eletrónico geralspcetc@gmail.com. São elegíveis trabalhos publicados em revista científica indexada, que tenham como primeiro e/ou último autor membros com condição regularizada de sócio da SPCE-TC a trabalhar em Portugal à data da realização da investigação e da candidatura.

    Da candidatura deverão constar uma carta de motivação indicando a importância da publicação, certificado de associado da SPCE-TC, assim como o PDF da publicação com documento suplementar, se existente.

    Os autores do trabalho premiado serão informados pela SPCE-TC até à semana anterior ao Congresso da SPCE-TC.A divulgação pública e a entrega do Prémio serão feitas durante a 11.º Congresso  Internacional da Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular, em outubro, em Lisboa.

    Saiba mais informações em http://spce-tc.org/

     

    Grupo Famicord estabelece acordo de armazenamento

    O Grupo Famicord, ao qual a Crioestaminal pertence, é líder europeu no setor da criopreservação das Células Estaminais do Cordão Umbilical e outros tecidos pós-fetais, tendo já armazenadas cerca de 400 mil amostras. O Grupo Famicord, com mais de 500 colaboradores, detém 10 laboratórios em diferentes países Europeus e é uma referência a nível mundial em termos de qualidade e aposta em Investigação e Desenvolvimento.

    O Grupo Famicord está ativamente envolvido na utilização de Células Estaminais para terapias, tendo já libertado 62 amostras de Sangue do Cordão Umbilical para tratamento de várias doenças, estando também na vanguarda das novas terapias celulares, nomeadamente a produção de medicamentos médicos avançados (ATMP), que é considerada um dos campos mais promissores do desenvolvimento da medicina moderna, tendo já realizado 2400 tratamentos com outras fontes de células estaminais, nomeadamente com Células Estaminais mesenquimais, presentes no tecido do Cordão Umbilical, tecido adiposo e medula óssea.

    A solidez financeira e a orientação para o futuro da Famicord aliadas à redefinição das prioridades estratégicas por parte da Cryo-Save levou a que a Cryo-Save, subcontratasse o armazenamento de todas as suas amostras à Famicord. O processo foi devidamente autorizado pelas autoridades competentes, tendo sido observados todos os requisitos técnicos e regulatórios aplicáveis.

    Desta forma, o Grupo Famicord reforça a sua posição de liderança, passando assim a ser responsável pelo armazenamento de mais de 600 mil amostras na Europa.

     
    Live Chat