Estudo em ratos demonstra potencial de células mesenquimais para obtenção de bexigas

A bexiga é um órgão complexo, cuja principal função é armazenar e eliminar urina, contudo, existem várias doenças que podem afetar o seu funcionamento. Em muitos casos é necessário aumentar a capacidade ou substituir a bexiga, de forma a preservar a função renal, adquirir continência, impedir infeções do trato urinário e promover um esvaziamento voluntário e completo da bexiga. O tratamento padrão, nestas situações, passa pela utilização de um segmento do intestino para aumentar ou substituir a bexiga, no entanto, esta terapêutica está associada a várias complicações. Neste contexto, um grupo de investigadores demonstrou recentemente, num estudo realizado em ratos, que é possível obter uma bexiga funcional utilizando células estaminais mesenquimais e uma matriz (o “esqueleto”) de bexiga. Os investigadores retiraram bexigas de ratos que … Continuar a ler

Ensaio clínico estuda o potencial das células estaminais para tratamento de lesões do joelho

A osteoartrite (ou artrose) do joelho é uma das condições degenerativas do joelho mais comuns, afetando 3 a 4 % da população global e é, em muitos casos, responsável pelo absentismo e qualidade de vida diminuída. O recurso à cirurgia de substituição do joelho permite recuperar mobilidade, no entanto, como as próteses têm uma duração limitada, obrigam muitas vezes a adiar a intervenção. Nos EUA, são realizadas anualmente cerca de 700 000 cirurgias de substituição do joelho. Com o objectivo de evitar ou adiar o recurso a esta cirurgia, foi iniciado um ensaio clínico para avaliar o potencial de células estaminais da medula óssea no tratamento de lesões do joelho. Este Ensaio Clínico pretende utilizar um procedimento desenvolvido por uma empresa de biotecnologia (o Regenexx … Continuar a ler

Ensaio clínico com células mesenquimais em doentes com diabetes tipo 2

Os resultados preliminares de um ensaio clinico de fase 1/2 para avaliar os efeitos da infusão de células percursoras mesenquimais em doentes com diabetes tipo 2 foram recentemente apresentados no 74º congresso anual da Associação Americana de Diabetes (o maior congresso de diabetes em todo o mundo). A diabetes caracteriza-se pelo aumento anormal dos níveis de açúcar (glucose) no sangue. A diabetes tipo 2 é o tipo mais frequente de diabetes, tendo uma elevada incidência. Estima-se que, em Portugal, 1 em cada 10 indivíduos tem diabetes tipo 2. Este tipo de diabetes  é mais frequente em adultos, estando associado com um estilo de vida mais sedentário, erros alimentares e excesso de peso. Na diabetes tipo 2 o pâncreas produz insulina (a hormona que regula os … Continuar a ler