Estudo sugere que células estaminais do cordão umbilical podem beneficiar crianças autistas

Foram recentemente publicados os resultados de um novo estudo, que indicam que a administração de células estaminais mesenquimais do tecido do cordão umbilical a crianças com Perturbações do Espectro do Autismo (PEA) é segura e pode conduzir à melhoria dos sintomas. As PEA englobam um conjunto de transtornos do desenvolvimento infantil caracterizadas por alterações nas competências sociais e pela presença de interesses restritos e comportamentos repetitivos. A sua incidência tem vindo a aumentar ao longo do tempo, estimando-se que afete, atualmente, cerca de uma em cada mil crianças portuguesas em idade escolar. Uma vez que as abordagens terapêuticas convencionais, como a terapia ocupacional e da fala, não atuam na causa da disfunção, outras soluções têm vindo a ser procuradas para o tratamento das PEA. Uma … Continuar a ler