Reconstrução craniana utilizando impressão 3D e células estaminais mesenquimais

Um grupo de investigadores da Austrália irá iniciar no próximo ano um ensaio clínico com o objetivo de reconstruir partes do crânio utilizando impressão 3D e células mesenquimais. Qualquer lesão ou defeito no crânio é muito difícil de reparar de forma eficaz. Sempre que uma parte do crânio tem que ser removida (por exemplo: para aliviar a pressão na sequência de um traumatismo; ou, para realizar uma cirurgia), esta é armazenada num congelador para ser reimplantada mais tarde. No entanto, é frequente ocorrerem infeções ou a reabsorção do osso. Em alternativa, podem ser implantadas placas de titânio, cerâmica ou plástico. Esta última estratégia também é utilizada na sequência de um traumatismo em que uma parte do crânio ficou muito danificada, não podendo ser reutilizada. Mas, … Continuar a ler